A Juventus encerrou uma longa série invicta do Milan no Campeonato Italiano. Nesta quarta-feira, em San Siro, os bianconeri venceram por 3 a 1, com uma grande atuação, e fizeram os rossoneri sentirem o gosto da derrota na Serie A pela primeira vez desde 8 de março. Foram 27 jogos sem derrota do time comandado por Stefano Pioli, contando desde a temporada passada.

LEIA TAMBÉM: Sampdoria derruba Inter e embola Serie A; Roma, Sassuolo, Atalanta e Lazio vencem

A vitória não veio por acaso. A Juve teve uma atuação consistente, com a defesa sólida e um time que tem funcionado melhor desde as mudanças táticas promovidas por Pirlo. Coletivamente, a Juventus tem crescido e a vitória sobre o Milan é simbólica. Primeiro, porque é sobre o líder e é um clássico. Segundo, porque reduz a diferença de pontos para sete, sendo que a Juve tem um jogo a menos e pode reduzir para quatro. Cria ainda mais equilíbrio em uma temporada que tem sido das mais apertadas dos últimos anos.

Milan desfalcado

Stefano Pioli escalou o Milan no 4-2-3-1, improvisando Davide Calabria como meio-campista ao lado de Franck Kessié, já que não tem Ismael Bennacer, o titular da função, além da suspensão de Sandro Tonali, expulso na rodada passada. Matteo Gabbia, Alexis Saelemaekers e Zlatan Ibrahimovic, machucados, também ficaram fora.

A Juventus não tinha Álvaro Morata, machucado. Andrea Pirlo escalou o time no 4-4-2 que melhorou o rendimento do time. A linha de defesa teve Gianluca Frabotta, já que Alex Sandro ficou fora por lesão. Federico Cheisa e Aaron Ramsey jogaram inicialmente nas pontas, cada um de um lado, fechando o meio-campo. Paulo Dybala e Cristiano Ronaldo formaram o ataque.

Golaços no primeiro tempo

O jogo começou movimentado e equilibrado. Os dois times tentando chegar ao gol, mas quem era mais perigoso era a equipe visitante. Cristiano Ronaldo abria pela esquerda e causava problemas a Diogo Dalot, o lateral direito da equipe rossonera.

A Juventus abriu o placar com uma linda jogada. Federico Chiesa tocou para o meio, para Paulo Dybala, que devolveu de calcanhar para Chiesa tocar no canto e marcar 1 a 0.

Hakan Çalhanoglu deu um tranco em Rabiot, acionou Rafael Leão pela esquerda e o português rolou para o meio, onde estava David Calabria. Ele chutou de primeira, colocado, e lindamente mandou para a rede. Golaço do lateral direito, que jogou no meio-campo.

Em seguida ao gol, a Juventus chegou com perigo em um lance de velocidade. Cristiano Ronaldo recebeu do lado esquerdo, tocou para o meio e Aaron Ramsey finalizou fraco de pé esquerdo, desperdiçando a chance.

Banco que faz a diferença

No segundo tempo, o jogo seguiu equilibrado, mas a Juventus melhorou em campo e tentou atacar mais. Aos 16 minutos, Chiesa recebeu no lado direito, cortou para o meio e, de pé esquerdo, finalizou no canto, fora do alcance de Gianluigi Donnarumma. Belo gol do camisa 22: 2 a 1 para a Juve.

Federico Chiesa, da Juventus, comemora seu gol contra o Milan (Federico Tardito / Insidefoto/Imago/OneFootball)

O gol não fez a Velha Senhora arrefecer. Pelo contrário, desequilibrou ainda mais o jogo em favor do time de Turim. As chances continuaram sendo do time visitante em San Siro que, melhor em campo, dominava a posse de bola e também parecia mais perto do terceiro gol do que o Milan do empate.

Pirlo colocou em campo dois jogadores que melhoraram ainda mais a equipe. Chiesa teve que sair machucado e deu lugar a Dejan Kulusevski, enquanto Dybala deu lugar a Weston McKennie. Kulusevski já começou causando perigo em um lance pela esquerda. Habilidoso, o jogador entrou colocando velocidade e força pelos lados do campo da Juventus. McKennie, por sua vez, deu mais controle ao meio-campo do time.

O Milan, por sua vez, colocou em campo Brahim Díaz no lugar de Jens Petter Hauge. Ainda trouxe a campo Pierre Kalulu, Andrea Conti, Daniel Maldini, nos lugares de Calabria, Simon Kjaer, Diogo Dalot. As mudanças, porém, não surtiram muito efeito.

Aos 30 minutos, Dejan Kulusevski, que entrou no segundo tempo, fez uma linda jogada pela direita, cruzou rasteiro para Weston McKennie, outro que veio do banco, marcar 3 a 1. Um belo gol, com dois jogadores que vieram do banco – algo que o Milan não teve na mesma qualidade.

A vitória da Juventus leva o time a 30 pontos, em quarto lugar na tabela da Serie A. O Milan, com 37, segue líder, e contou com uma dose de sorte porque a Inter, sua rival mais próxima, com 36 pontos, também perdeu na rodada, para a Sampdoria. A Roma é terceira com 33 pontos. Quem poderia imaginar, antes da temporada começar, que uma vitória da Juventus causaria um equilíbrio maior no campeonato.

O Milan volta a campo no dia 9, sábado, contra o Torino, novamente em San Siro. A Juventus joga no domingo, em casa, contra o Sassuolo, que é um dos bons times na temporada italiana.

Ficha técnica

Classificação da Serie A

Standings provided by SofaScore LiveScore

Melhores momentos