O técnico Roberto Mancini declarou em entrevista nesta terça-feira que vai deixar o cargo na seleção italiana depois da Copa do Mundo de 2022, no Catar. Em entrevista ao programa Tiki Taka, comandado por Piero Chiambretti, ele comentou que quer voltar ao futebol de clubes. Experiente, o ex-jogador já acumula 20 anos na função de treinador, passando por Lazio, Fiorentina, , Manchester City, Galatasaray e Zenit.

Depois de classificar o time à próxima com tranquilidade, a ponto de chegar uma das equipes a se ficar de olho no torneio, a se tornou cabeça de chave no sorteio para as Eliminatórias da Copa. Isso é fundamental, porque no último ciclo, os italianos caíram no mesmo grupo da Espanha, que era a cabeça de chave, ficaram em segundo e tiveram que buscar a classificação na repescagem. Perderam para a Suécia e ficaram fora da Copa 2018.

“Os contratos estão lá, mas eles podem ser quebrados ou estendidos a qualquer momento”, afirmou Mancini. “Ir à Copa do Mundo com a Itália? Primeiro temos que nos classificar, já que não foi tão óbvio na última vez. Primeiro temos a Eurocopa e então a Liga das Nações em campo. No espaço de dois anos, nós temos três importantes competições e está claro que queremos jogar todas elas”.

“Na seleção, há menos partidas e às vezes você fica cansado de ficar em casa. Esse é o problema. É uma honra sentar no banco da seleção italiana, especialmente neste momento, em que o time é muito competitivo e nós temos competições importantes. Então certamente sim, eu vou voltar a trabalhar em clubes”, explicou o treinador.

Perguntado então sobre quem poderia sucedê-lo como técnico da Itália, Mancini deu três grandes nomes. “Eu não sei, há muitos que podem fazer isso. [Massimiliano] Allegri, [Carlo] Ancelotti e [Gian Piero] Gasperini, por exemplo, eles podem treinar a seleção italiana”. Allegri está desempregado no momento, enquanto Ancelotti está no Everton e Gasperini é o técnico da Atalanta.

“Nós caímos ao 21º lugar no ranking mundial, agora nós estamos em 10º e em sexto no ranking europeu”, continuou Mancini. “Nós fomos muito bem nesse um ano e meio, felizmente nós conseguimos recuperar e penso que podemos subir mais porque a Itália merece mais”.

“No momento, o que é importante é encontrar os jogadores jovens para a seleção italiana para o futuro para se misturarem em quatro ou cinco mais experientes que podem ajudá-los a crescer. Nós tivemos sorte porque nós fomos capazes de encontrar bons jogadores que queriam se impor e eles não quiseram perder a chance de uma vida. E agora eles estão continuamente melhorando”, afirmou ainda Mancini.

A Eurocopa, marcada para começar em junho deste ano, tem a Itália no grupo A, junto com Suíça, e Gales. Os jogos estão marcados para Roma, porém ainda não se sabe se a Uefa manterá a ideia de ter 12 sedes em 12 países diferentes. A Itália está no grupo C nas Eliminatórias da Copa, junto com Bulgária, Lituânia, Irlanda do Norte e Suíça.