Itália

Maldini e Ibrahimovic: Theo Hernández fala sobre convivência com grandes nomes do passado do Milan

Líder, capitão do elenco e em grande fase, Theo Hernández conta relação com ídolos do Milan

A trajetória de Theo Hernández dava indícios que se firmaria dentre os melhores laterais-esquerdo do mundo na Espanha, onde se formou como jogador. Fez toda categoria de base no Atlético de Madrid, viu o rival Real Madrid desembolsar 24 milhões de euros para contratá-lo e até jogou muito bem por Alavés e Real Sociedad. No entanto, ser ídolo, representante de uma torcida e inspirar os fãs só aconteceu mesmo pelo Milan, clube que defende desde 2019. Hoje capitão da equipe, ele teve ótimas referências para se inspirar: Paolo Maldini e Zlatan Ibrahimović.

Maldini é a cara do Rubro-Negro. Campeão de tudo e com uma carreira inteira como jogador dedicada ao clube Rossonero, após a aposentadoria ele passou quase cinco anos como diretor técnico do clube e foi o responsável por convencer Theo a trocar o Real Madrid pelo Milan. Em entrevista ao jornal espanhol As, o lateral-esquerdo francês contou que ficou nervoso ao encontrar Paolo e detalhou como foi a visita do ídolo em Ibiza para negociação.

– Para ser sincero, a primeira vez que vi um mito como ele, que veio falar comigo, fiquei um pouco nervoso. Ele foi muito claro desde o primeiro momento, me explicou o projeto, o que queria de mim e me disse que com ele eu seria um dos melhores do mundo, o que foi motivo suficiente para eu não hesitar em querer para ir para Milão.

Naquele momento, Theo estava bem próximo de fechar com o Bayer Leverkusen, mas a ida de Maldini e a aparente vontade do Milan em contar com ele fez muita diferença.

– Isso [Maldini viajar a Ibiza] foi muito importante. O Milan demonstrou total interesse desde o primeiro momento. O clube com mais Champions League depois do Real Madrid e ter uma figura como Maldini me explicando o projeto pessoalmente foi crucial para os meus agentes e para mim. É uma entidade que há anos trabalha muito bem e lança bases muito sólidas que se traduzem em sucessos esportivos. Milan retorna ao seu devido lugar. A decisão de vir para Milão foi um sucesso total para mim.

Maldini Theo Hernández
Maldini abraça Theo Hernández (Foto: Divulgação/Milan)

O Theo capitão e líder de hoje tem a clara influência de Maldini, mas também de Ibrahimović. Quando o lateral chegou no meio de 2019, Zlatan viria apenas meses depois, mas desde o início causou um impacto no vestiário, como conta o lateral. Mesmo quando não era tão importante dentro de campo, já no fim da passagem, era essencial por sua liderança. Aposentado dos gramados no meio de 2023 como ídolo Rossonero, retornou ao clube no fim do ano passado e agora exerce função de dirigente, o responsável pela ponte entre time e diretoria.

– Ibra é um líder nato. Mesmo nos momentos em que não pôde nos ajudar dentro de campo, sua simples presença no vestiário não fazia ninguém relaxar um segundo. Ele contagia você com seu personagem vencedor. Agora que saiu de campo, mas continua próximo do elenco, continua ajudando a entender o que é o Milan e as grandes exigências de vestir esta camisa.

Theo acredita viver melhor momento da carreira no Milan

Quem viu o lateral potente, de ultrapassagem e grande qualidade técnica não poderia imaginar que na temporada 2023/24 o veria como zagueiro. Pelas muitas lesões de defensores no Milan, Theo Hernández foi obrigado a jogar na zaga por Stefano Pioli e incrivelmente se deu bem.

– A verdade é que toda a minha vida joguei pelo lado e é a posição em que me sinto mais confortável. Mesmo assim, desde que cheguei a Milão coloquei muita ênfase em melhorar o meu lado defensivo e isso faz com que seja uma posição [de zagueiro] em que me sinto mais confortável do que inicialmente esperava. Provei a mim mesmo que também posso jogar em bom nível nessa área.

Essa improvisação não baixou o nível do francês de 26 anos, que acredita ser o melhor momento da sua carreira. Adaptado a Milão, também afirmou se sentir muito bem na cidade que o acolheu.

– Sem dúvida, tanto desportivamente como pessoalmente [Milão é minha casa]. Eu me sinto muito bem aqui. Sou totalmente dedicado a esta cidade maravilhosa que me acolheu desde o primeiro dia como se fosse a minha casa para toda a vida. Tudo foi fácil desde o primeiro momento. Formei uma família, me sinto amado e estou muito feliz.

– Acho que sim [sobre estar no melhor momento da carreira]. Estou convencido disso. É verdade que um jogador nunca para de melhorar, mas penso que estou num momento de maturidade ideal. Além disso, sinto a confiança do treinador e dos meus companheiros e isso transparece em campo.

Ele, que é muito grato ao Real Madrid e não demonstra nenhuma mágoa pelas poucas oportunidades que teve, respondeu que “ninguém sabe o futuro” ao ser questionado sobre um retorno aos Merengues e não quer fazer projeções.

– Nunca sabemos o que a vida vai nos trazer, mas vivo o presente pelas emoções e pelo profissionalismo. Ninguém conhece o futuro. Ainda temos muitos jogos pela frente nesta temporada com o Milan e realmente só penso no que tenho que fazer em campo. – concluiu.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo