Itália

Maldini: “Eu disse não à convocação em 2006 e eles ganharam. Foi o destino”

Paolo Maldini foi um dos grandes jogadores da história do futebol italiano, mas nunca conquistou a Copa do Mundo pela seleção. Teve a primeira chance em 1994, mas sua equipe perdeu a final para o Brasil. A segunda surgiu doze anos depois, mas o ex-defensor, já aposentado da seleção, decidiu recusar a convocação para o Mundial da Alemanha. E seus conterrâneos voltaram de Berlim com o tão cobiçado caneco. 

Coisa do destino. “Eu disse não à convocação em 2006 e eles venceram. Foi o destino”, disse, segundo o Football Italia. O último jogo do atleta pela seleção, que se aposentou apenas em 2009, foi aquela oitavas de final contra a Coreia do Sul, em 2002. “O jogo que eu realmente queria ter jogado novamente é esse contra a Coreia do Sul. Eu nunca fico bravo com a arbitragem, mas, naquele dia, era sinceramente impossível não ficar. Eu deixei escapar o pior em mim, auxiliado pelo espanhol que eu aprendi com minha mulher”, disse. 

Duas partidas dividem o primeiro lugar na lista dos piores momentos da carreira de Maldini: a primeira é a final da Copa do Mundo de 1994; a segunda é a decisão da Champions League contra o Liverpool, em 2005. “O futebol dá e o futebol leva, mas no fim do dia você tem que aceitar o resultado, especialmente quando ele te deu tudo. Se você assistir de novo, não é verdade que recuamos quando estava 3 a 0. Tivemos vários chances no 3 a 3 também”, afirmou. 

Com a aquisição do Milan pelo fundo de investimentos americano Elliot, Maldini retornou ao clube como diretor para auxiliar o trabalho de Leonardo. E com um objetivo em mente. “Com base na nossa experiência, queremos retornar aos princípios (da Era Berlusconi). No Milan, você precisa ter uma visão clara do que é essencial para conquistar troféus. Nosso objetivo é voltar a ser competitivo na Europa assim que possível. Temos um contrato de três anos. Não é muito tempo, mas vamos tentar”, disse. 

A vaga na próxima Champions League é, portanto, prioridade máxima, embora o Milan tenha começado o Campeonato Italiano oscilante e está em 10º lugar. Em janeiro, virá um grande reforço: o meia-atacante Lucas Paquetá, do Flamengo. “Ele tem talento”, avaliou Maldini. “Ainda não está 100% desenvolvido mas é um jogador que nos permite sonhar”. 

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo