Copa da Itália

Fiorentina pede em nota para que torcida “evite cânticos racistas e discriminatórios” no reencontro com Vlahovic

Vlahovic voltará a jogar em Florença nesta quarta-feira, agora com a camisa da Juventus, em duelo pelas semifinais da Copa da Itália

Florença deve ferver nesta quarta-feira. O Estádio Artemio Franchi receberá o primeiro duelo entre Fiorentina e Juventus, pela semifinal da Copa da Itália. Não bastasse a importância do embate ou a rivalidade, o duelo marcará também a primeira visita de Dusan Vlahovic ao seu antigo clube. A expectativa é de que o centroavante juventino seja bastante hostilizado, pela maneira como decidiu deixar os violetas e seguir ao destino mais odiado pela torcida. Nesta terça, a Fiorentina publicou um comunicado pedindo para que sua torcida não seja racista. A solicitação soa como absurda, pela mera necessidade de pedir que evitem o racismo, mas é compreensível pelo próprio histórico recente.

A reação contrária a Vlahovic se deu a partir do momento em que sua transferência à Juventus se tornou certa, em janeiro. Diversas manifestações de repúdio aconteceram em Florença. Algumas delas, com teor racista. Chamavam o sérvio principalmente de “cigano”, termo visto como discriminatório, usado principalmente contra eslavos e cidadãos de outras regiões do Leste Europeu. Também ocorreram ameaças contra o centroavante, a ponto de sua casa precisar de escolta policial em seus últimos dias na cidade.

“A Fiorentina agradece aos muitos torcedores que estarão no estádio ao lado da equipe, para o jogo contra a Juventus na quarta-feira. Nesta ocasião, pedimos aos torcedores que apoiem o time com toda sua paixão e coração, fazendo sentir seu amor durante os 90 minutos e evitando cânticos racistas e discriminatórios que nada têm a ver com nossa cultura e história”, diz a nota.

A rivalidade entre Fiorentina e Juventus é alimentada principalmente pelas transferências de ídolos em Florença para Turim. O caso mais célebre é o de Roberto Baggio, que deixou a Viola contra sua vontade em 1990 e a decisão da diretoria provocou uma enorme revolta na cidade. Outros nomes mais recentes também trocaram de cores, como Federico Bernardeschi e Federico Chiesa. Ainda assim, o caso de Vlahovic é mais emblemático, já que o centroavante tinha mercado em outros clubes e mesmo assim decidiu seguir para a Juve, forçando sua saída.

Técnico da Juventus, Massimiliano Allegri disse confiar no bom senso da torcida da casa, embora tenha preparado Vlahovic: “É um jogo de futebol. Acredito na inteligência e na cultura dos torcedores da Fiorentina. Vlahovic sempre será grato à cidade e ao clube. Há outros problemas no mundo, como uma guerra, amanhã será apenas um belo jogo de futebol. Vlahovic está calmo, ele voltará ao lugar onde cresceu. É normal estar agitado, será um jogo especial a ele, mas ele precisa se manter calmo. De outra maneira, ele nunca vai conseguir enfrentar a Fiorentina. Vlahovic deu serenidade ao time, agora eles sabem que podemos marcar gols”.

Vlahovic anotou 49 gols em 108 partidas pela Fiorentina, estabelecendo o recorde do clube em um só ano. Foram 17 tentos nas primeiras 21 partidas pela Serie A 2021/22. Já pela Juventus, o início é arrasador. O centroavante balançou as redes quatro vezes em seis aparições.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo