Copa da Itália

Com Lautaro inspirado, a Inter passa pelo Milan categoricamente e avança à decisão da Copa da Itália

Lautaro Martínez marcou dois gols no primeiro tempo e a Inter foi mais eficiente mesmo nos momentos de pressão dos rivais

A Internazionale conquistou o Scudetto na última temporada e se candidata ao bicampeonato da Serie A, em disputa acirrada com Milan e Napoli. Antes da resolução da liga, os nerazzurri poderão comemorar outro título, e deixando os rivais pelo caminho. Nesta terça, os interistas foram bem mais eficientes que os milanistas na semifinal da Copa da Itália e confirmaram presença na decisão em Roma. Depois de um 0 a 0 modorrento na ida, a Inter abriu o caminho desde cedo na volta e inflamou sua torcida com o triunfo por 3 a 0. Sob os olhares de Adriano Imperador, ilustre convidado nas arquibancadas, Lautaro Martínez foi brilhante e anotou dois gols. É a chance dos nerazzurri buscarem um troféu que não levam há 11 anos.

Para quem esperava um jogo melhor que a ida, a Inter transformou a história do confronto logo aos quatro minutos. O placar se abriu com uma boa construção no campo de ataque e o brilhantismo de Lautaro Martínez. Depois de uma troca de passes paciente ao redor da área do Milan, Matteo Darmian rolou para o meio da área e o atacante pegou na veia, com um chutaço de primeira direto ao alto da meta de Mike Maignan. A situação, contudo, não era tão desfavorável aos milanistas. Como visitantes, o empate com gols favorecia o time.

O Milan tentou se postar no campo de ataque e ficou mais com a bola, mas encontrava dificuldades para romper a defesa da Inter. Exceção feita a um arremate de Franck Kessié pelo lado de fora da rede, aos 12, a resposta demorou. A partida seguiu equilibrada, com raras tentativas dos rossoneri. A equipe de Stefano Pioli cresceu só depois dos 25 minutos, dando mais trabalho a Samir Handanovic. O goleiro faria uma defesa difícil em chute cruzado de Rafael Leão, ao repelir com a perna o tiro rasteiro, antes de espalmar uma finalização de longe de Alexis Saelemaekers. Neste momento, o jogo parecia pender ao empate milanista.

Em meio a esse abafa, a Inter voltou a dar sinais de vida. Nicolò Barella arriscou de fora da área e assustou. Do outro lado, na sequência, Ivan Perisic seria salvador para bloquear uma tentativa de Kessié com um carrinho na pequena área. E um contra-ataque premiou os interistas com o segundo tento, aos 39. Num lance vertical, Joaquín Correa deu uma enfiada de bola na medida para Lautaro Martínez avançar por entre as linhas. Diante de Maignan, o argentino deu um toquinho por cima e correu para o abraço. O atacante ainda quase fez o terceiro nos acréscimos, em cabeçada que saiu com perigo.

Com as entradas de Brahim Díaz e Júnior Messias, o Milan tentou pressionar na volta para o segundo tempo, mas de novo a Inter conseguiu ser mais direta e exigiu a primeira defesa de Maignan, num chute de Lautaro. Os rossoneri aumentavam a sua carga no ataque e adiantavam a marcação para dificultar a saída de bola. Todavia, as dificuldades para criar permaneciam, com os nerazzurri protegendo bem a sua área. O caminho vinha em tiros de fora da área. E os milanistas teriam um gol anulado aos 21. Depois de uma bola alçada na área, o rebote chegou pedindo para ser chutado na meia-lua e Ismaël Bennacer chapuletou de primeira, contando com um desvio para balançar as redes. Todavia, a arbitragem marcou um impedimento discutível e anulou o lance.

A anulação pareceu impactar no Milan, que perdeu o ímpeto. Enquanto isso, a Inter acionou seu banco de reservas e ganhou muito mais casca com as entradas de Edin Dzeko, Alexis Sánchez, Arturo Vidal e Robin Gosens – além de Danilo D'Ambrosio na vaga do machucado Alessandro Bastoni. Os nerazzurri voltaram a ficar mais no ataque e mataram o jogo aos 37. Vidal deu uma linda enfiada para Marcelo Brozovic na linha de fundo. O meio-campista cruzou rasteiro e Gosens apareceu na pequena área para só escorar. Depois disso, o jogo estava resolvido. Ficou marcado mesmo pela festa dos interistas nas arquibancadas. Só nos acréscimos Kessié, Olivier Giroud e Theo Hernández assustaram, em tiros para fora, mas os milanistas sequer descontaram.

A Internazionale disputará a final da Copa da Itália pela 14ª vez. São sete títulos, o mais recente em 2011. Enquanto isso, o jejum do Milan se amplia desde 2003. O outro finalista será definido nesta quarta, em Turim, onde a Juventus recebe a Fiorentina. Na ida, a Velha Senhora ganhou por 1 a 0. A decisão no Estádio Olímpico está marcada para 11 de maio.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo