ItáliaMundo

Ataques cardíacos dominam fatalidades no futebol

É uma história que vai se tornando cada vez mais comum. Neste sábado, o meio-campista Piermario Morosini, do Livorno, faleceu durante uma partida contra o Pescara, pela Serie B italiana. O caso assusta, ainda mais porque, há menos de um mês, o meia Fabrice Muamba, do Bolton, desmaiou em campo durante a partida de seu clube contra o Tottenham, pela Copa da Inglaterra, e quase teve o mesmo destino. O atendimento rápido – que incluiu choques com desfibrilador – permitiu que o congolês sobrevivesse mesmo após seu coração parar por 78 minutos, ainda que seu futuro no esporte seja incerto.

Não é de hoje que jogadores de futebol morrem em campo ou devido a problemas sofridos nas partidas. O que assusta é que a quantidade de casos parece crescer (pode ser apenas impressão superficial, considerando que hoje as informações se espalham com mais precisão e velocidade) e a maior parte envolve questões cardíacas.

A Trivela fez um grande levantamento sobre mortes de profissionais durante jogos ou treinos. Assusta constatar que, até a década de 1970, a maior parte dos casos se devia a acidentes ocorridos em campo (como lesões cerebrais após choques muito fortes) e eram raros os casos de infartos. Hoje, eles são maioria.

Veja a relação abaixo (os casos sem explicação são de ataque cardíaco; jogadores brasileiros em maiúsculas).

Obs.: Aproveite e leia a entrevista realizada com Pedro Berruezo em 2007. O pai de Berruezo era jogador e morreu de ataque cardíaco em campo. Na época, ele ainda estava na barriga de sua mãe. Mesmo com o trauma familiar, ele também se tornou jogador:

2011

Naoki Matsuda (Japão, Matsumoto Yamaga/JAP)
Teve infarto durante treino.

Bobsam Elejiko (Nigéria-Merksem/BEL)
Teve ruptura da aorta durante uma partida da quinta divisão belga.

2010

Emanuel Ogoli (Nigéria, Ocean Boys/NIG)

Endurance Idahor (Nigéria-Al-Merreikh/SUD)

2009

Dani Jarque (Espanha, Espanyol/ESP)
Morreu devido a um ataque cardíaco durante um treino de pré-temporada. Iniesta, seu amigo na época de categoria de base da seleção espanhola, o homenageou ao fazer o gol do título na Copa de 2010.

PAULO RAMOS (aposentado)
Ex-jogador de Grêmio, Vila Nova e Juventude, morreu de ataque cardícao durante uma partida com amigos em Inhumas (GO). Ele havia encerrado a carreira um ano antes por problemas cardíacos.

Jumadi Abdi (Indonésia-PKT Bontang-INA)
Teve uma concussão (lesão cerebral) em uma partida e foi encaminhado ao hoispital. Morreu oito dias depois por infecção.

2008

Ove Jorstad (Noruega-técnico)

Tinha 38 anos e já havia encerrado a carreira. Teve ataque cardíaco durante um treino do time de veteranos do Fossum, sua última equipe profissional.

Guy Tchingoma (GAB-Canon/GAB)
Minutos antes da parada cardíaca, tivera um impacto fortíssimo com um adversário.

Hrvoje Custic (Croácia-Zadar/CRO)
Morreu devido a um traumatismo craniano provocado por um choque acidental com uma mureta de concreto localizada a poucos metros da linha lateral do campo.

Rustem Bulatov (Rússia-Chelsea Kazan/RUS)
Tinha 34 anos e já havia encerrado a carreira profissional. Era técnico, mas jogava em uma liga amadora de Kazan quando faleceu.

2007

Phil O’Donnell (Escócia-Motherwell/ESC)
Desmaiou durante partida e foi atendido rapidamente, mas não resistiu e faleceu no hospital.

Anton Reid (Inglaterra-Walsall/ING)
Infarto durante treino.

Antonio Puerta (Espanha-Sevilla/ESP)
Desmaiou durante partida. Foi retirado de campo com vida e morreu três dias depois.

Chaswe Nsofwa (Zâmbia-Hapoel Beer Sheva/ISR)

Jairo Nazareno (Equador-Chimborazo/EQU)

2006

ALEX SANDRO (Matonense-SP)
Estava sem contrato e morreu em jogo amador. Sua tia faleceu quando recebeu a notícia.

Sixto Rojas (Paraguai-Sportivo Trinidense/PAR)
Teve mal súbito durante um treino.

NILTON MENDES (Shakhtyor Karaganda/CAZ)
Sentiu-se mal durante o treino. Médicos do clube perceberam que estava com pressão muito alta e o encaminharam ao hospital, mas não resistiu.

David di Tommaso (França-Utrecht/HOL)
Teve infarto enquanto dormia.

HÉLDER (América-RN)
Morreu no flat em que morava.

Matt Gadsby (Inglaterra-Hinckley United/ING)

Mohamed Abdelwahab (Egito-Al Ahly/EGI)

ROGÉRIO OLIVEIRA (Skendija Tetovo/MAC)
Foi encontrado morto em seu apartamento.

Victor Guerrero (Colômbia-Envigado/COL)
Tinha apenas 17 anos.

2005

ALESSANDRO (Ferroviário-CE)
Esperava resultado de exames realizados após um desmaio em campo.

Alin Paicu (Romênia-Minerul Matarasi/ROM)

Hugo Cunha (Portugal-União de Leiria/POR)
Morreu durante partida festiva.

Nedzad Botonijc (Eslovênia-Ljubljana/ESL)

2004

SERGINHO (São Caetano-SP)
Exames já haviam indicado problemas cardíacos.

Bruno Baião (Porto-Benfica/POR)
Teve ataque cardíaco ao receber notícia que assinaria um contrato profissional.

CRISTIANO JÚNIOR (Dempo/IND)
Recebeu um soco na cabeça quando fazia o gol do título de seu time na Copa da Liga da Índia e caiu. Foi atendido em campo, e a causa da morte foi indicada como infarto.

Danny Ortiz (Guatemala-Municipal/GUA)
A camada externa de seu coração foi lesionada em colisão com um adversário.

EDICAM GABRIEL DA ROSA (Criciúma-SC)
Era capitão da equipe sub-20 do Criciúma.

Lucas Molina (Argentina-Independiente/ARG)
Teve parada cardíaca enquanto dormia.

Miklos Fehér (Hungria-Benfica/POR)
Caiu em campo no último minuto da partida.

2003

José Roberto Rodás (Paraguai-árbitro)
Teve infarto apitando um amistoso.

Marc-Vivien Foé (Camarões-Seleção camaronesa)
Morreu durante partida contra a Colômbia na Copa das Confederações. Ele defendia o Manchester City na época.

Max (Botafogo-SP)

2002

Michalis Michael (Chipre-Onisilos Sotiras/CHP)
Passou mal ao socorrer um colega que estava contundido. Morreu no hospital.

Sergio Sánchez (Espanha-Berrón/ESP)
Tinha apenas 18 anos.

Stefan Toleski (Macedônia-Napredok/MAC)

Hernán Gaviria (Colômbia-Deportivo Cali/COL)
Faleceu após um raio cair no campo durante um treino.

2001

Youssef Benkhouja (Marrocos-Wydad Casablanca/MAR)
Faleceu durante o clássico contra o Raja Casablanca, o maior do futebol marroquino.

Charles Esheku (Nigéria-East Bengal/IND)

Serhiy Perkhun (Ucrânia, CSKA Moscou/RUS)
Morreu devido a uma hemorragia cerebral provocada por um choque cabeça-com-cabeça com um jogador adversário.

Mike North (Inglaterra-árbitro)

Vladimir Dimitrijevic (Sérvia-EstrelaVermelha/SER)
O zagueiro Vidic, do Manchester United, dedicava seus gols ao ex-colega.

2000

Hocine Gacemi (Argélia-JS Kabilye/ARE)
Caiu de cabeça no chão após trombar no ar com um zagueiro adversário na tentativa (bem sucedida) de marcar um gol. Foi transferido para o hospital Pitié-Salpêtrière, em Paris (o mesmo que examinou Ronaldo após a convulsão no dia da final da Copa de 1998), mas não resustiu.

Eri Irianto (Indonésia-Persebaya/INA)

Catalin Hildan (Romênia-Dinamo Bucaresti/ROM)
Uma das arquibancadas do estádio do Dinamo recebeu seu nome. Antes de cada jogo, a torcida do time canta uma música em homenagem a “O Único Capitão”.

John Ikoroma (Nigéria-Enugu Rangers/NIG)
Morreu quando fazia testes no Al Wahda (EAU) sem autorização de seu clube.

1999

Stefan Vrabioru (Romênia-Astra Ploiesti/ROM)
Autópsia reveleu que usara anabolizantes, mas em quantidade insuficiente para causar o infarto.

1998

Axel Jüptner (Alemanha-Carl Zeiss Jena/ALE)

Robbie James (Gales-Llanelli/GAL)

1997

Hédi Berkhissa (Tunísia-Espérance/TUN)
Teve ataque cardíaco no último minuto de um amistoso contra o Lyon.

Emmanuel Nwanegbo (Nigéria-Reutlingen/ALE)

Ezequiel Zapatosky (Argentina-Aldosivi/ARG)
Tinha 16 anos.

Shamo Quaye (Gana-Umea-SUE)
Fez parte da seleção ganesa que conquistou a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de 1992.

1995

Almir Angwe (Nigéria-Julius Berger/NIG)

AUGUSTO (Boom/BEL)
Rompeu a aorta após se chocar com um adversário.

1993

Michael Klein (Romênia-Bayer Uerdingen/ALE)
Desmaiou em um treino e faleceu em seguida. Fez parte da seleção romena que disputou a Copa de 1990.

Stefano Gessa (Itália-Carbonia Mineraria/ITA)

1992

Vicente Vasquez (Argentina-Chacarita Garahapé/ARG)
Goleiro, teve infarto após a bola acertar com força seu peito em uma cobrança de pênalti.

1990

VÁGNER (Paraná-PR)
O zagueiro, ex-Palmeiras e Botafogo, havia sofrido uma pancada cabeça-com-cabeça com um jogador do Campo Mourão. Foi ao hospital e chegou a dar entrevista dizendo que estava bem, mas faleceu sete dias depois devido a lesões na coluna cervical.

Dave Longhurst (Inglaterra-York/ING)
Sofria de doença cardíaca rara. Uma das arquibancadas do estádio do York recebeu seu nome.

JOÃO PEDRO (Sport-PE)
Teve infarto durante uma partida contra o Estudantes de Timbaúba, pelo Campeonato Pernambucano.

1989

Samuel Okwaraji (Nigéria-Ulm/ALE)
Faleceu durante uma partida da Nigéria contra Angola pelas Eliminatórias da Copa de 1990.

1987

Navalho (Portugal-Atlético Lisboa/POR)

1986

ZEZINHO (Internacional-SP)
Teve aneurisma cerebral em treino recreativo.

1985

Jock Stein (Escócia-técnico)
Faleceu durante uma partida da Escócia pelas Eliminatórias para a Copa de 1986. Foi substituído no posto por Alex Ferguson.

BETO (Moto -MA)

1982

CARLOS ALBERTO BARBOSA (Sport-PE)

1980

Omar Sahnoun (França-Bordeaux/FRA)
Era candidato a uma vaga na França para a Copa de 1978, mas teve exames identificaram problemas cardíacos e ficou de fora da convocação. Continuou jogando e faleceu em um treino.

1978

VALTECIR (Colorado-PR)
Faleceu devido a lesões na coluna sofrida após um jogo contra o Grêmio Maringá.

1977

Renato Curi (Itália-Perugia/ITA)
O estádio do Perugia recebeu seu nome.

1975

Ángel Avilés (Peru-Deportivo Junín/PER)

1973

Pavão (Portugal-Porto/POR)

Pedro Berruezo (Espanha-Sevilla/ESP)
Sua mulher estava grávida. O filho, também chamado Pedro, virou jogador profissional.

1971

TININHO (Guarani-SP)
Sofreu aneurisma cerebral durante um treino.

1963

Constantin Tabarcea (Romênia-Petrolul Ploiesti/ROM)

1954

VÁLTER (Portuguesa-SP)
Teve derrame cerebral durante partida contra o Ypiranga.

1951

MITOTÔNIO (Ceará-CE)
Sentiu-se mal durante uma partida do Campeonato Cearense e faleceu no hospital. A causa foi congestão estomacal aguda. Ele havia comido panelada (cozido a base de vísceras de bode) pouco antes do jogo.

1941

Law Adam (Holanda)
Havia encerrado a carreira em 1933, aos 24 anos, por problemas cardíacos, mas não deixou de jogar futebol informalmente. Oito anos mais tarde, faleceu em um jogo festivo nas Índias Holandesas (atual Indonésia) no qual havia marcado dois gols.

1933

Jon Kristbjornsson (Islândia-Valur/ISL)
Faleceu devido a lesões cerebrais após uma colisão com um jogador adversário.

1931

John Thomson (Escócia, Celtic/ESC)
Morreu devido a lesões após receber uma joelhada acidental na cabeça em um clássico Celtic x Rangers.

1927

David Arellano (Chile, Colo-Colo/CHI)
Em uma excursão à Espanha, sofreu um choque casual de um jogador do Valladolid. O incidente provocou uma peritonite, que o levou à morte depois de quase um mês internado no hospital. Hoje, o estádio do Colo-Colo leva seu nome e até hoje a camisa do clube tem uma tarja preta sob o distintivo como luto.

Sam Wynne (Inglaterra, Bury/ING)
Teve mal súbito durante uma partida contra o Sheffield United. A causa oficial foi pneumonia, mas seu clube afirma que a morte se deveu a hemorragia cerebral.

1923

Tom Butler (Inglaterra-Port Vale/ING)
Sofreu uma fratura em uma partida, mas contraiu tétano no hospital e não rsistiu.

1919

Roberto Chery (Uruguai-Seleção uruguaia)
Goleiro, faleceu devido a um rompimento de hérnia após defender um chute de um atacante chileno durante o Campeonato Sul-Americano (atual Copa América) no Rio de Janeiro. Defendia o Peñarol na época.

1916

Bob Benson (Inglaterra-Arsenal/ING)
Ele havia encerrado a carreira no ano anterior, aos 32 anos, mas manteve contato com seu antigo clube. Quando um colega não pôde jogar devido a uma contusão, ele aceitou o convite para substituí-lo. Sofreu um ataque cardíaco e faleceu.

1907

Tommy Blacktock (Escócia-Manchester United/ING)
Faleceu após cabecear uma bola. Causa não divulgada.

1906

Soldier Wilson (Inglaterra, Leeds City/ING)
Primeiro caso conhecido de ataque cardíaco durante uma partida. O atacante deixou o campo no meio do jogo com dores no peito. Como dois companheiros se contundiram na partida (não havia substituições), ele decidiu voltar a campo, contra a orientação do médico. Acabou falecendo antes do final do jogo.

Obs.: parte desse levantamento foi publicado na edição de outubro de 2007 da revista Trivela, em reportagem conjunta de Marcus Alves, Dassler Marques e Ubiratan Leal.

 

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo