Inglaterra

Zinchenko troca o Manchester City pelo Arsenal com o objetivo de deixar de ser apenas um quebra-galho

O meia de origem que virou lateral esquerdo reserva no City é mais uma contratação interessante do Arsenal nesta janela

Oleksandr Zinchenko teve um papel importante no sucesso do Manchester City nos últimos anos, mas geralmente periférico. Meio-campista de origem, passou a quebrar galho na lateral esquerda porque o principal nome contratado para a posição, Benjamin Mendy, se machucou quase imediatamente. Sempre muito competente e também com a sensação de que poderia fazer mais se tivesse mais protagonismo. É o que ele buscará a partir de agora, após assinar com o Arsenal.

Não é uma sensação sem fundamento. Ele tem liberdade na seleção ucraniana, na qual atua como meia, e consegue influenciar o jogo de várias maneiras. Inclusive tem quatro vezes mais gols pelo time nacional (8) em 52 jogos do que em 127 com o Manchester City. Não são números tão relevantes em grandeza, mas indicam que, em um time com um sistema ofensivo exuberante, ele raramente esteve em posição para finalizar ou mesmo dar assistências – teve apenas 13.

Não terá as chaves do cofre no Arsenal, mas também não será uma improvisação que acabou sendo oficializada pelo tempo. Estará integrado a um elenco de jogadores jovens e talentosos, a maioria com idade parecida, que pretende crescer e se desenvolver junto. E que tem dois laterais esquerdos de ofício. Pode até quebrar galho ali de vez em quando, até porque o titular, Kieran Tierney, se machuca um pouco demais, mas deve ser utilizado prioritariamente no meio-campo.

Onde é uma questão importante. O centro da linha de armação está bem ocupada, com Martin Odegaard e outro novo reforço, Fábio Vieira, além do garoto Emile Smith Rowe, que vem de uma temporada de evolução. Ele pode ser uma opção mais cadenciada para o lado esquerdo do ataque, mas provavelmente jogará ao lado de um volante (Thomas Partey, Xhaka ou Elneny), qualificando a saída de bola e a ligação ao ataque como se espera de um pupilo de Guardiola.

“Ele é um jogador que conheço pessoalmente muito bem e continuei acompanhando depois de sair do Manchester City”, disse Arteta, ex-auxiliar de Guardiola. “É um jogador de alta qualidade que nos dará opções e versatilidade. Não é apenas sobre as posições que ele pode jogar, mas também a versatilidade que eles nos dá no ataque e na defesa. É uma pessoa com grandes qualidades humanas e personalidade e estou muito feliz que todo mundo fez um esforço enorme para trazê-lo ao clube”.

Zinchenko começou nas categorias de base do Shakhtar Donetsk, mas se profissionalizou pelo Ufa. Após 31 jogos pelo clube russo, foi contratado pelo Manchester City, que imediatamente o emprestou para o PSV. Ao retornar, transformou-se no lateral esquerdo reserva na temporada em que Fabian Delph quebrou o galho na posição para Guardiola. Nunca foi realmente promovido. Seu maior tempo em campo foi em 2020/21, com 2.330 minutos. Atuou 28 vezes na última campanha, com apenas 10 jogos como titular na Premier League.

Ele se encaixa na nova política de reforços do Arsenal, agora em sua segunda grande janela. Ótima idade (25 anos), preço razoável (€ 35 milhões), com espaço para melhorar e fome para se afirmar, em linha com os outros principais reforços, Fábio Vieira, Gabriel Jesus e Marquinhos. Para deixar de ser meramente um jogador de elenco e ser realmente importante em um time com ambições. Talento para isso ele tem.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo