Inglaterra

West Ham leva Feghouli de graça e vem se especializando em fazer bons negócios

Os clubes da Premier League acabaram de entrar no primeiro ano do maior contrato de direitos de televisão da história do futebol, mas isso não significa que eles precisam necessariamente gastar rios de dinheiro em reforços. O West Ham, por exemplo, anunciou a contratação do meia-atacante argelino Sofiane Feghouli, de graça.

LEIA MAIS: Rejeitado pelo Arsenal e herói galês, Robson-Kanu não está acostumado a fazer gols

Feghouli tem 26 anos e muito tempo de alto nível pela frente. Defendeu a seleção argelina 40 vezes, em três grandes competições (Copa Africana de Nações de 2013 e 2015, Copa do Mundo de 2014). Estava há seis temporadas no Valencia, com 42 gols marcados. Nos últimos anos, atuou mais pela meia-esquerda, mas também chegou a ser utilizado pela direita. Tem qualidade e pode ser muito útil para o West Ham. “Grande jogador”, avaliou o técnico Slaven Bilic. “É uma ótima contratação para nós”.

Ele chegou a ser especulado em Liverpool e Manchester United, em mercados recentes e está avaliado em € 15 milhões pelo site especializado Transfermarkt. Assinou sem custos, além de salários e luvas, com o West Ham. O zagueiro Havard Nordtveit, titular do Borussia Monchengladbach na última temporada, quarto colocado da Bundesliga, também chegou de graça.

Os Hammers vêm se especializando em fazer grandes negócios.

O melhor de todos foi Dimitri Payet, contratado por € 15 milhões no último ano do seu contrato com o Olympique Marseille. Na época, já era uma barganha, mas tornou-se ainda mais em conta com as atuações brilhantes do francês, presença obrigatória nas seleções de melhores jogadores da última Premier League.

A boa equipe comandada por Bilic tem outros exemplos de negócios interessantes realizados pela diretoria dos Hammers. Manuel Lanzini chegou por empréstimo, do Al Jazira, e se tornou um jogador importante. Agora, foi contratado em definitivo por € 12 milhões. Michail Antonio custou apenas € 9,5 milhões para deixar o Nottingham Forest. Diafra Sakho e Kouyaté foram ainda mais baratos: € 5 milhões e € 7,5 milhões, respectivamente.

As boas sacadas nas transferências, por valores abaixo do inflacionado mercado europeu, são um dos segredos que explicam como o West Ham conseguiu enfrentar os grandes da Inglaterra de igual para igual, mesmo sem ter tantas libras para gastar. Desembolsou apenas € 52 milhões na última temporada, € 5,5 milhões a mais do valor que o Liverpool pagou por Benteke, que acabou o campeonato na reserva.

O West Ham foi sétimo colocado. O Liverpool, oitavo.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo