Inglaterra

Wenger rebate críticas de Platini sobre compra de jovens

O técnico do Arsenal, Arsène Wenger, rebateu as críticas feitas pelo presidente da Uefa, Michel Platini, sobre a contratação de jogadores cada vez mais jovens pelos clubes europeus. Platini disse recentemente não gostar da prática dos grandes clubes que contratam atletas com 16 anos ou menos.

Wenger tem construído o Arsenal com jogadores contratados na adolescência. O exemplo mais conhecido é o do meio-campista espanhol Cesc Fàbregas, que saiu das categorias de base do Barcelona para assinar com os Gunners em 2003, aos 16 anos.

“Fico impressionado, porque (Platini) está em total contradição com a política da Uefa de estimular a formação de jovens jogadores”, disse Wenger em entrevista coletiva nesta sexta-feira. “Não consigo ver como a Uefa pode, por um lado, instigar uma regra que favorece isso, e, por outro lado, criticar os clubes que o fazem”.

No regulamento da Liga dos Campeões, a Uefa determina que pelo menos seis jogadores da lista de 25 inscritos sejam formados no país, dos quais pelo menos três no próprio clube. Para a próxima temporada, este número subirá para oito formados no país e quatro no clube. Por “jogador formado”, entende-se a permanência por três anos, entre os 15 e os 21 de idade, no país ou no clube.

Por outro lado, Wenger teve palavras de apoio a Platini ao falar da preocupação com o investimento estrangeiro nos clubes. “É claro que está preocupação é compreensível”, afirmou. “Mas cabe a órgãos como a Fifa, a Uefa e a FA garantir que os investidores o façam com a proposta certa e respeitem as regras. Cabe a eles garantir que as regras sejam respeitadas”.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo