Inglaterra

Wenger diz que seria incoerente deixar Fábregas sair

O treinador do Arsenal, Arsène Wenger, disse que, se tivesse deixado o meia espanhol Cesc Fábregas sair do clube e ir para o Barcelona, teria sido incoerente com seu modelo de entender o futebol.

“Deixá-lo sair teria destruído uma parte da coerência da minha política. Perder o melhor jogador do meio-campo teria sido um autêntico fracasso”, disse Wenger em entrevista publicada nesta quarta-feira pelo jornal L'Équipe.

Campeão mundial com a seleção espanhola na África do Sul, Fábregas foi uma das figuras mais valorizadas da pré-temporada europeia, depois que o Barcelona tentou por várias vezes contratá-lo, mas o jogador permaneceu no clube de Londres.

O treinador francês defende uma política de formação de jovens, e disse que o objetivo do clube nesta temporada é lutar pelo Campeonato Inglês e pela Liga dos Campeões, já que o Arsenal está há cinco anos sem títulos.

“Quando há uma política de jovens, é preciso ir até o fim com suas ideias, sabendo que podem ser reprovadas. O sucesso que temos em revelação de jogadores é único no mundo”, afirmou Wenger.

O treinador admitiu que se sente “mal” após cinco anos sem títulos, apesar de lembrar que manteve o time entre os melhores do futebol inglês, mesmo com verbas limitadas em comparação com outras equipes do país, como o Manchester City.

“Jogamos no melhor campeonato do mundo com clubes que têm fundos inesgotáveis”, disse o treinador, que acha que seria importante para o futebol se o Arsenal voltasse a levantar troféus para provar que as taças podem ser conquistadas sem gastar milhões de libras. (EFE)

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo