Copa do MundoInglaterra

Um gol contra nos acréscimos pôs o Japão na final da Copa e acabou em uma cena de dar dó

Pela segunda vez consecutiva, Japão e Estados Unidos decidirão a Copa do Mundo Feminina. Após as americanas eliminarem as alemãs, as japonesas asseguraram a chance de disputar o bicampeonato da maneira mais dramática possível. O duelo contra a Inglaterra parecia se encaminhar para a prorrogação, com o empate prevalecendo até os acréscimos do segundo tempo. Até que um enorme infortúnio abateu as europeias. Aos 46 do segundo tempo, um gol contra de Laura Bassett deu a vitória às nipônicas por 2 a 1.

VEJA TAMBÉM: A Inglaterra, com a força de sua liga, eliminou o Canadá e vai à semifinal da Copa

Os dois primeiros tentos do jogo saíram ainda no primeiro tempo, em uma cobrança de pênalti para cada lado. Já na segunda etapa, a Inglaterra parecia ter mais gás para sair com a vitória. As inglesas arriscavam mais a gol e chegaram a carimbar o travessão. Mas o Japão se segurou. E contou com a infelicidade de Bassett no final. Após um cruzamento da direita, a defensora tentou botar para escanteio, mas mandou a bola contra a própria meta. Além de encobrir a goleira, o desvio indefensável ainda tocou no travessão antes de entrar.

O lance valeu a comemoração das japonesas, mas também o desconsolo das inglesas. Especialmente de Bassett. A veterana zagueira do Notts County saiu de campo chorando, para ser amparada pelas companheiras. Justo ela, que na estreia inglesa já tinha jogado com um olho roxo após tomar uma cotovelada na cara. E o pior de tudo é que, com 35 anos em 2019, provavelmente ela nem terá chance de se redimir na próxima Copa. Terá que se contentar com a decisão do terceiro lugar, o amargo prêmio de consolação.

basset

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo