InglaterraPremier League

Um bravo Palace segurou a pressão incessante do Chelsea para vencer em Stamford Bridge

Tudo corria bem para o líder do Campeonato Inglês: em casa, onde estava imbatível desde setembro, com dez vitórias seguidas pela liga inglesa, o Chelsea abriu o placar, com Fàbregas, bem no comecinho. Mas, em dois minutos, o Crystal Palace marcou duas vezes, com Zaha e Benteke, e deixou os donos da casa atônitos. A situação ainda era favorável. Os homens de Conte tinham 80 minutos, mais os acréscimos, para ganhar de um time que briga contra o rebaixamento. Mas este time, treinado por Sam Allardyce, conseguiu segurar a pressão incessante do adversário e saiu de Stamford Bridge com valiosos três pontos na bagagem.

LEIA MAIS: Acima do fenômeno, Kanté desafia o futebol a reconhecer um tipo diferente de talento

O gol de Fàbregas, aliás, foi o único que o Palace sofreu nas últimas quatro rodadas da Premier League, nas quais conseguiu quatro vitórias que o permitem respirar um pouco na briga contra a segunda divisão. Está em 16º lugar, com 31 pontos em 29 partidas. A equipe mais bem colocada na zona da degola é o Hull City, com 27 pontos em 30 jogos. Ainda há o Swansea entre eles, com 27 pontos em 29 duelos. O triunfo mais marcante, claro, foi o deste sábado, contra o Chelsea.

Principalmente pelas circunstâncias. Fàbregas completou cruzamento rasteiro de Hazard, pela esquerda, e abriu o placar, logo no começo da partida. Mas Zaha fez um ótimo trabalho, pouco depois, recebendo de Benteke, segurando vários marcadores do Chelsea no corpo e batendo cruzado, no canto de Courtois. Em seguida, foi a vez de o belga ir às redes: Benteke arrancou do meio-campo, ganhou a dividida de Kanté e David Luiz, Zaha recolheu o rebote e soltou com o atacante, que teve a calma de bater por cima do goleiro e virar a partida.

E, então, começou a pressão do Chelsea, enquanto o Crystal Palace mantinha-se perigoso nos contra-ataques, com a dupla Zaha e Benteke. Os donos da casa foram ficando cada vez mais afobados e forçando os cruzamentos. Deram 35 no total, a maioria cortada pela defesa. Quando o passe encontrava o atacante, o goleiro Wayne Hennessey brilhava. Defendeu uma tentativa à queima-roupa de Diego Costa, ainda no primeiro tempo, no puro reflexo, e executou mais nove defesas para manter segurar o resultado.

Scott Dann teve que substituído por James Tomkins no começo do segundo tempo. O árbitro considerou o tempo de atendimento e deu sete minutos de acréscimo no final da partida. Sete minutos que se tornaram dez. E a pressão do Chelsea em busca do empate continuava. Quando o cronômetro marcou 100 minutos, o jogo finalmente terminou, e o Crystal Palace saiu de campo feliz com a vitória conquistada na qualidade de seus atacantes e na raça.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador detectado

A Trivela é um site independente e que precisa das receitas dos anúncios. Considere nos apoiar em https://apoia.se/trivela para ser um dos financiadores e considere desligar o seu bloqueador. Agradecemos a compreensão.