Copa da InglaterraInglaterra

Tottenham precisou de três gols depois dos 41 do segundo tempo para eliminar o Wycombe

O confronto contra o Wycombe foi mais complicado do que se imaginava, mas o Tottenham contou com o reforço que veio do banco para tranquilizar a torcida e arrancar três gols nos cinco minutos finais e garantir a vitória por 4 a 1. Depois de um primeiro tempo que terminou empatado por 1 a 1, o técnico José Mourinho colocou em campo três dos seus principais jogadores, que asseguraram a classificação.

Os Spurs levaram a campo um time com muitos reservas. O goleiro Joe Hart, por exemplo, foi titular da partida no lugar de Hugo Lloris, Japhet Tanganga atuou na lateral direita, Gareth Bale, Erik Lamela, Lucas moura e Carlos Vinícius atuaram nas posições ofensivas. Era esperado que o time da Premier League dominasse a partida, já que o Wycombe é um time de segunda divisão e que veio da terceira na temporada anterior. Bale ganhou uma rara chance de ser titular.

Foi o time da casa que fez o goleiro dos Spurs trabalhar. Em uma cabeçada de Admiral Muskwe, o goleiro Joe Hart teve que fazer uma defesa difícil para impedir o gol. Bale também teve a chance de marcar o primeiro gol do jogo, mas desperdiçou. Aos 25 minutos, o Wycombe abriu o placar. Uche Ikpeazu passou por Toby Alderweireld na direita, Davinson Sánchez só conseguiu desviar e Fred Onyedinma tocou para marcar 1 a 0.

Precisando do empate, o Tottenham acelerou e acertou duas vezes a trave do goleiro Ryan Allsop, com Tanganga e Moussa Sissoko. Bale também teve uma finalização na rede pelo lado de fora. Parecia que o time da casa levaria a vantagem para o vestiário no intervalo, mas os Spurs arrancaram o empate. Lucas Moura fez a jogada pela direita e cruzou para Bale, em um ótimo passe, e o galês colocou na rede aproveitando a bobeira na linhda defensiva do Wycombe.

O segundo tempo começou com o Tottenham pressionando pela virada, mas desperdiçando chances. Então, Mourinho levou a campo uma arma pesada: Harry Kane, que entrou no lugar de Carlos Vinícius. Entrou também Pierre-Emile Hojbjerg no lugar de Tanganga. Pouco depois, colocou em campo mais dois jogadores titulares e importantes: Heung-Min Son no lugar de Lucas Moura e Tanguy Ndombélé no lugar de Lamela. O treinador precisou chamar a cavalaria para tentar a vitória.

O drama aumentou e o jogo chegou aos 40 minutos do segundo tempo ainda empatado em 1 a 1. A prorrogação já parecia provável, até que Kane finalizou, a bola sobrou para Harry Winks, que finalizou e marcou 2 a 1, aos 41. No minuto seguinte, logo depois da saída de bola, o chute de Son desviou e Ndombélé aproveitou para marcar mais um e ampliar para 3 a 1. Já aos 48 minutos, Ndombelé fez uma boa jogada cortando para dentro e chutando para decretar o 4 a 1.

“Do jeito que eles jogam, eles podem marcar a qualquer momento. Eles podem marcar de um lateral, de um escanteio, de uma bola longa, então é sempre um perigo. No segundo tempo, nós fomos super dominantes. Nós tivemos muitas chances e começamos a encontrar os espaços. Os jogadores que vieram do banco, descansados, é claro, trouxeram alguma intensidade e qualidade ao jogo”, disse José Mourinho.

“Mas nós não estávamos marcando. Contra um time como eles, você é dominante, mas a ameaça está sempre lá. Com os jogadores descansados que colocamos no segundo tempo, eu acredito que seria ainda mais difícil para eles para lidarem conosco”, continuou.

O Tottenham continua com um calendário complicado e joga contra o Liverpool na quinta-feira pela Premier League.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo