InglaterraPremier League

Tottenham mostra força e City por que não será campeão

O Tottenham parecia que viveria um domingo terrível. Era dominado pelo Manchester City mesmo jogando em casa e os torcedores já imaginavam o quanto poderia ser dramático o fim da campanha do time. Parecia, porque em um colapso do Manchester City no segundo tempo, os Spurs mudaram o jogo. Em poucos minutos, o time saiu de uma derrota por 1 a 0 para uma vitória por 3 a 1. Méritos dos jogadores do Tottenham, que foram bem nos lances, do técnico André Villas-Boas, que mudou bem o time, e demérito do Manchester City, que pareceu atordoado e não conseguiu reagir diante de uma mudança brusca no jogo.

É preciso dizer que o Manchester City fazia uma partida que parecia perfeita. Mesmo sem nenhum destaque individual, o time era tranquilo na partida e aproveitou que conseguiu um gol cedo para cozinhar o jogo, deixando o Tottenham sufocado com a própria ansiedade. A estratégia funcionava, em parte pelos erros dos Spurs, em parte porque os jogadores do City conseguiam controlar bem o jogo.

Só que isso durou até o segundo tempo. André Villas-Boas fez boas alterações no time, mas o principal foi o Tottenham aproveitar a chance que teve. As chances, aliás, porque foram três consecutivas e as três aproveitadas.O jogo que estava completamente controlado escapou por entre os dedos, subitamente. O técnico Roberto Mancini, ao contrário de Villas-Boas, não conseguiu fazer nada com o seu grande e qualificado elenco para mudar o jogo. O time se perdeu e as suas alterações só pioraram.

Os Spurs saem fortalecidos com uma vitória difícil, como muitas na temporada, mas contra um adversário duro. O time ganha embalo com a volta de Bale – é bom lembrar que o Tottenham não tinha vencido desde a lesão do galês – e volta ao quarto lugar na tabela. O Arsenal é o terceiro com dois pontos a mais, mas também tem um jogo a mais. Por isso, em tese, o Tottenham ainda pode tomar essa posição.

O Manchester City já não tinha esperanças de título, mesmo que vencesse, mas a derrota é simbólica. Mostra o quanto o time é instável e como um contratempo pode fazer mal ao time de Roberto Mancini. O técnico não parece capaz de mudar situações ruins. O jogo deste domingo mostra por que o Manchester City não será campeão, mesmo tendo capacidade para ser igual ou melhor que o rival que lidera a tabela.

Com o resultado, o Manchester United só precisará de uma vitória contra o Aston Villa, nesta segunda-feira, para garantir o título inglês – o 20º da sua história.

Formações iniciais

Tottenham x Manchester City

Destaque do jogo

Gareth Bale foi muito apagado no primeiro tempo, mas no segundo… Participou do primeiro gol e fez o terceiro, dando uma vitória importante ao time. Não por acaso, acabou sendo eleito o melhor do jogo, mesmo não tendo feito uma de suas melhores partidas na temporada.

Momento-chave

A entrada de Defoe no jogo, aos 26 minutos do segundo tempo. O atacante se mexeu, movimentou-se e tratou de dar mais vida ao ataque do Tottenham, que parecia inerte.

Os gols

5’/1T: GOL DO MANCHESTER CITY!
Tevez briga muito na direita, consegue segurar a bola e toca para Milner ir à linha de fundo e cruzar rasteiro para Nasri tocar, manso para o gol. Nem o jogador em cima da linha conseguiu tirar.

30’/2T: GOL DO TOTTENHAM!
Depois de Walker pegar o rebote na entrada da área, tocou para Bale na direita e o galês cruzou de trivela para Dempsey marcar, livre, no segundo tempo.

34’/2T: GOL DO TOTTENHAM!
Em um contra-ataque rápido, Holtby, que entrou bem no jogo, de um passe preciso em profundidade para Defoe, que cortou a marcação e chutou forte no canto oposto para marcar um belo gol e virar o jogo.

37’/2T: GOL DO TOTTENHAM!
Novamente em uma metida de bola precisa de Huddlestone, Bale saiu na cara do gol, nas costas de Clichy, e deu uma cavadinha com categoria por cima de Hart.

Curiosidade

Na última vez que o Tottenham venceu o Manchester City, em 2009/10, os dois times brigavam por vaga na Liga dos Campeões. A vitória no estádio City of Manchester foi fundamental para os Spurs acabarem com a vaga na competição europeia. Desta vez, a situação é similar. A briga não é com o City, mas a vitória pode ser fundamental para as pretensões do time em voltar ao principal torneio europeu.

Ficha técnica

TOTTENHAM 3X1 MANCHESTER CITY

Tottenham_escudo Tottenham
Hugo Lloris; Kyle Walker, Michael Dawson, Jan Vertonghen e Benoit Assou-Ekotto; Clint Dempsey, Scott Parker (Tom Huddlestone, 16’/2T), Mousa Dembélé e Gylfi Sigurdsson (Lewis Holtby, 15’/2T); Gareth Bale; Emmanuel Adebayor (Jermain Defoe, 36’/2T). Técnico: André Villas-Boas
Manchester City_escudo Manchester City
Joe Hart; Pablo Zabaleta, Vincent Kompany, Matija Nastasic e Gaël Clichy (Joleon Lescott, 45’/2T); James Milner (Aleksandar Kolarov, intervalo), Yayá Touré, Gareth Barry e Samir Nasri; Carlos Tevez; Edin Dzeko (Scott Sinclair, 38’/2T). Técnico: Roberto Mancini
Local: Estádio White Hart Lane (Londres-ING)
Árbitro: Lee Mason (ING)
Gols: Dempsey, 30’/2T, Defoe, 34’/2T, Bale, 37’/2T (Tottenham), Nasri, 5’/1T (Manchester City)
Cartões amarelos: Dawson, Assou-Ekotto, Huddlestone (Tottenham), Hart, Yayá Touré (Manchester City)
Cartões vermelhos: Nenhum

 

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo