Inglaterra

Southampton é melhor que o Chelsea e consegue vitória importante para dar tranquilidade a Hasenhüttl

Em casa, o Southampton virou contra os Blues - e poderia até ter vencido por mais

O Chelsea chegou a abrir o placar no St. Mary’s Stadium, onde seu adversário não vencia desde fevereiro, mas levou a virada por 2 a 1 e não perdeu por mais graças a ações defensivas incríveis de Marc Cucurella e Thiago Silva. Foi uma rodada de meio de semana pobre para os comandados de Tomas Thuchel, que ainda espera receber reforços a 48 horas do fim do mercado de transferências.

O vice-campeão das duas copas inglesas começou a temporada um pouco devagar. Bateu o Everton, o que praticamente todo mundo anda fazendo, e foi melhor que o Tottenham no grande empate por 2 a 2. Desde então, perdeu duas vezes fora de casa sendo superado pelo adversário, embora o placar desta terça não tenha sido tão amplo quanto no 3 a 0 que sofreu do Leeds.

Ralph Hasenhüttl, técnico do Southampton, começou a Premier League pressionado pela péssima reta final da edição passada, mas tem dado respostas. Apesar de ter sido goleado pelo Tottenham na estreia, ganhou do Leicester, segurou um pouco o Manchester United e agora conseguiu a primeira vitória dos Saints sobre o Chelsea como mandante desde 2013 e apenas a terceira no geral nesses nove anos.

O Southampton decidiu que se é para apenas existir na Premier League, melhor fazê-lo desenvolvendo alguns jovens. Gavin Bazunu, Armel Bella-Kotchap e Roméo Lavia foram titulares contra um time muito qualificado. Tuchel, como vinha esboçando na pré-temporada, adotou linha de quatro, com Hakim Ziyech, especulado para sair, como titular pela direita, Kai Havertz na esquerda e Raheem Sterling pelo meio.

Na primeira meia hora, parecia que a estratégia havia dado certo porque Sterling era constantemente acionado com espaço e não marcou antes dos 23 minutos porque estava com o pé descalibrado. Chutou fraco da entrada da área, aos 13, para defesa de Buzunu, e depois, em contra-ataque, ficou em dúvida entre passar e chutar e acabou sendo travado na hora certa.

A jogada do gol começou com Loftus-Cheek no campo de defesa. A bola andou até a esquerda, Havertz observou a infiltração de Mount, que jogou para a boca do gol. Romain Perraud dividiu, mas Sterling ficou com a sobra. Girou e mandou no canto para abrir o placar. Havertz, recebendo longo lançamento de Ziyech, teve chance de ampliar, mas parou em Buzunu.

Logo depois, Lavia pegou a sobra de um escanteio e, da entrada da área, mandou no canto de Mendy para empatar. Depois do gol do Southampton, o Chelsea mal conseguiu jogar, e a virada saiu ainda no primeiro tempo. Perraud recebeu pela esquerda e cruzou com consciência para o meio da área. Adam Armstrong dominou e contou com um desvio para fazer 2 a 1.

O placar poderia ter sido maior porque dois jogadores do Chelsea precisaram salvar em cima da linha depois do intervalo. Primeiro, foi Marc Cucurella quem cortou a cabeçada de peixinho de Elyounoussi. Depois, Thiago Silva, de chaleira, com a bola passando pelo seu corpo, fez uma ação defensiva maravilhosa para evitar o terceiro gol do Southampton, que saiu do St. Mary’s Stadium com uma merecida vitória.

.

Foto de Bruno Bonsanti

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.
Botão Voltar ao topo