Inglaterra

Salah: “Não depende de mim, mas gostaria de ficar no Liverpool até o fim da minha carreira”

Com apenas mais dois anos de contrato, as negociações estão em andamento para que o egípcio permaneça no Liverpool

Se dependesse dele, Mohamed Salah ficaria até o fim da carreira no Liverpool. Mas, segundo o jogador em entrevista à Sky Sports, não depende. Com apenas mais dois anos de contrato, as conversas por uma renovação estão em andamento, e o egípcio tem dado mais poder de barganha aos seus representantes a cada semana em que atua como se fosse o melhor jogador do mundo.

A prioridade do Liverpool no último mercado foi fechar contratos de longo prazo com os pilares do seu time que conquistou a Inglaterra, a Europa e ao Mundo. Van Dijk, Alexander-Arnold, Andrew Robertson, Fabinho e Jordan Henderson assinaram novos compromissos. O famoso trio de ataque – além de Salah, Mané e Firmino – ficará livre ao fim da temporada 2022/23.

No auge da sua forma, e com 29 anos, Salah está em busca de um salário muito alto que o tornaria o jogador mais bem pago da história do Liverpool, reticente em quebrar a sua estrutura de folha salarial em que nenhuma estrela ganha muito mais do que a outra.

Quando o jogador diz que não depende dele, não é exatamente verdade porque em qualquer negociação, um dos lados pode ceder um pouco para chegar ao meio termo.

“Se você perguntar para mim, eu adoraria ficar até o último dia da minha carreira no futebol, mas não posso dizer muito sobre isso, não está em minhas mãos”, disse. “Depende do que o clube quer, não de mim. No momento, não consigo me ver jogando contra o Liverpool. Isso me deixaria triste. É difícil, não quero falar sobre isso, mas me deixaria muito triste. No momento, não me vejo jogando contra o Liverpool, mas vamos ver o que acontece no futuro”.

Seria ruim ao Liverpool permitir que Salah entrasse no último ano do seu contrato. Mesmo que o negociasse, o valor seria menor e haveria o risco real de perdê-lo de graça. Porque certamente o interesse será enorme. Ele está na melhor forma da sua carreira, com 12 gols em 11 jogos, e sendo protagonista de lances antológicos, como seus golaços contra Manchester City e Watford. Klopp chegou a dizer que neste momento ele é o melhor jogador do mundo.

“É ótimo de ouvir, mas eu acho que sempre uma opinião. Não posso dizer que sou o melhor jogador do mundo. Alguns concordam, outros não. Eu apenas fico feliz pelas minhas atuações no momento, mas eu sempre digo que é uma opinião”, afirmou.

“A ambição é sempre ser o melhor jogador do mundo. Não tenho que mentir. É algo que me motiva a trabalhar muito duro e tentar ser a melhor versão de mim mesmo. Na minha cabeça, sou o melhor jogador de todos os tempos. Eu estou tentando ter essa confiança na minha cabeça. Não importa se algumas pessoas concordam com você e outras não”, completou.

No fim de semana, o Liverpool, ainda invicto na temporada, terá os serviços de Salah para enfrentar o Manchester United, em Old Trafford, pelo Campeonato Inglês.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo