Premier League

City é melhor que Tottenham, mas Angeball garante empate por 3 a 3 com polêmica de arbitragem no fim

Duelo elétrico teve City dominante nas ações, mas Tottenham efetivo e valente nos momentos cruciais da partida

Neste domingo (3), o Manchester City empatou com o Tottenham por 3 x 3, no Etihad Stadium, pela 14ª rodada da Premier League. Com o resultado, os Citizens ficaram na 3ª posição do campeonato com 30 pontos. Já os Spurs subiram para a 5ª colocação com 27 pontos. E o primeiro encontro entre Pep Guardiola e Ange Postecoglou não decepcionou.

A partida trouxe duas equipes que praticam o bom futebol. Do lado do técnico catalão, uma pressão interminável e muitas chances de gol. Já Angeball não ficou muito atrás, com seu estilo de trocas de passe desde a defesa, realizando a transição ofensiva com agilidade.

Com muitos desfalques, o Tottenham foi com quatro laterais em sua defesa. Ainda falando dos Spurs, Son foi de herói a vilão em menos de três minutos. Isso porque o atacante sul-coreano marcou um gol a favor e outro contra antes dos 10 minutos de jogo. Segundo os dados do Opta Joe, foi a segunda vez que isso aconteceu na história da Premier League, pois o volante Gareth Barry realizou o feito inédito em 1999, na partida entre Aston Villa x Charlton.

O Manchester City foi fenomenal dentro de casa, mas parou na trave algumas vezes, o que fez a diferença no placar final. Além disso, a arbitragem também deu o que falar já nos acréscimos do 2º tempo, o que deixou Guardiola e companhia irados em casa. Saiba tudo o que aconteceu na Trivela.

Como foi Manchester City x Tottenham pela 14ª rodada da Premier League

Como esperado, o Manchester City começou o jogo pressionando o Tottenham desde a defesa. Aos cinco minutos, Doku arriscou a primeiro finalização da partida dentro da área, mas a bola vai em cima de Vicario. Só que os Citizens foram surpreendidos logo no lance seguinte, em um contra-ataque mortal dos Spurs.

Son recebeu lançamento na intermediária e ganhou da marcação na velocidade, entrando livre na grande área. O atacante sul-coreano chutou forte, mas contou com uma ajudinha de Ederson, que defendeu a bola para dentro do gol. Só que, apenas três minutos depois, o camisa 7 do Tottenham foi de herói a vilão.

Em cobrança de falta lateral do Manchester City, o atacante acabou jogando a bola para dentro de seu próprio gol sem querer. Como sem intenção também vale, o jogo ficou empatado. Dali para frente, os Citizens não deram mais sossego para os Spurs e dominaram a posse de bola.

Aos 12 minutos da etapa final, Emerson Royal perdeu a bola para Bernardo Silva depois de um desarme dentro de sua própria área. O português cruzou para Erling Haaland, que estava livre. Mesmo assim, o centroavante perdeu o gol de forma inacreditável chutando a bola para fora, que passou do lado da trave esquerda.

Erros de passe lá atrás e roubadas de bola na defesa se tornaram cada vez mais comum com o decorrer da partida. Já aos 28 minutos, o Manchester City fez uma transição rápida até o ataque e encontrou Doku no lado esquerdo. O atacante belga foi carregando até a grande área e finalizou colocado no ângulo. Contudo, a bola bateu caprichosamente no travessão e na trave, sem passar da linha do gol.

Dois minutos depois, a equipe de Guardiola conseguiu ficar à frente no placar ao balançar as redes após uma jogada assinada pelo técnico catalão. Em bela troca de passes, Haaland, na meia-lua, passou para Doku na esquerda. O belga viu Julian Álvarez entrando livre na área. Com a bola, o argentino passou para Phil Foden, quase na pequena área, que só teve o trabalho de finalizar para o fundo do gol.

Já aos 34 minutos do 1º tempo, Royal falhou – de novo -, deixando o sistema defensivo do Tottenham desarrumado. Álvarez saiu em velocidade em direção à grande área e, antes de entrar, bateu forte cruzado rente ao chão. Entretanto, a bola parou na trave defendida pelo goleiro italiano.

No lance seguinte, outra perda de bola na defesa dos Spurs. A bola sobrou para o centroavante dos Citizens dentro da grande área, mas ele bateu muito embaixo e mandou por cima da meta de Vicario. Apesar da pressão, o placar permaneceu 2 x 1 até o fim da etapa inicial.

Angeball entra em ação

Logo na volta do intervalo, o goleiro do Tottenham entregou a bola no pé do Manchester City após passe errado em direção aos defensores. Ela veio rolando para Bernardo Silva, que finalizou de trivela quase no ângulo. Mesmo assim, Vicario se redimiu e foi buscar para fazer um milagre.

Os Citizens tentaram manter o domínio da partida, mas os Spurs começaram a trocar mais passes. O Angeball entrou em ação no 2º tempo, tanto para o bem, quanto para o mau. Para a alegria do treinador australiano, sua equipe conseguiu empatar o jogo aos 23 minutos.

A defesa do Tottenham cortou um lançamento que ia para Haaland, e a bola foi passada rapidamente para Son. O sul-coreano tocou para trás e encontrou Lo Celso, que limpou da marcação do Manchester City e finalizou no cantinho, sem chances para o arqueiro brasileiro. A bola ainda bateu no pé da trave direita antes de morrer no fundo do gol.

Com isso, os Citizens partiram para o ataque em busca da vitória. Cinco minutos depois, Lewis avançou pelo lado direito e, quase na linha de fundo, cruzou para Rodri. Entretanto, a bola foi muito atrás, e o volante espanhol acabou chutando por cima do gol de Vicario.

Já aos 35 minutos da etapa final, Rodri roubou a bola dos defensores dos Spurs e lançou rasteiro para o centroavante norueguês, que entrou em disparada na grande área. Haaland cruzou por baixo para Grealish, que chutou para colocar o Manchester City na vantagem.

Só que aos 44 minutos, o Tottenham conseguiu igualar o marcador mais uma vez, sem abandonar a filosofia de jogo de Postecoglou. Johnson cruzou do lado esquerdo de ataque após rápida transição ofensiva. A bola encontrou Kulusevski, que de ombro, “cabeceou”. A bola ainda bateu no travessão antes de entrar no fundo do gol.

Já nos acréscimos finais, uma polêmica de arbitragem. Em lance de contra-ataque, Haaland sofreu uma falta no meio-campo. Mesmo assim, ele conseguiu passar a bola para o atacante do Manchester City, que estava cara a cara com o goleiro. O problema foi que o juiz decidiu marcar a falta no início da jogada, levando o Ethiad Stadium à loucura. Fato é que a partida terminou em 3 x 3.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Unesp, é apaixonado por esportes, acima de tudo o futebol. Por mais redundante que seja, ama escrever sobre o que é apaixonado, ficando de olho em tudo o que acontece dentro e fora de campo. Após passar por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia, se juntou à equipe da Trivela com muita vontade de continuar crescendo.
Botão Voltar ao topo