Premier League

Liverpool embala no segundo tempo e bate o Norwich

Em tarde inspirada de Salah, Reds confirmaram favoritismo ao título

Com certa dificuldade para estabelecer seu domínio, o Liverpool deu as boas vindas ao recém-promovido Norwich, que retorna à Premier League. Mas o caminho de volta para os Canários não teve um bom início: os Reds decolaram nos 45 minutos finais e venceram por 3 a 0.

LEIA MAIS: Liverpool: O ciclo chegou ao fim? É hora de descobrirmos

A partida em Carrow Road envolvia duas equipes em busca de uma nova fase. O Norwich, querendo deixar de ser ioiô e o Liverpool, que fez uma péssima temporada em 2020-21 e precisa mostrar força novamente. O roteiro esperado era que os mandantes dificultassem a vida dos comandados de Jürgen Klopp, mas era quase impossível começar tirando pontos dos campeões ingleses em 2020. 

Uma assistência culposa

O Liverpool fez o que lhe cabia e tentou ocupar desde o início os espaços na área do adversário, buscou o gol e trabalhou bem a bola para confundir a marcação. Apesar da intensidade, o gol não saía de jeito nenhum. Aos mandantes, restava só roubar a bola e afastar o perigo, mas manter a defesa sempre numerosa para impedir mais chutes.

A missão dos Reds, então, se converteu em tentar aproveitar qualquer sobra com espaço. Foi aí que, aos 26, Mohamed Salah fez das suas e, de maneira quase acidental, achou Diogo Jota livre para marcar dentro da área. Foi uma assistência culposa, já que Salah claramente tenta dominar a bola e acaba errando. O craque é assim mesmo, até quando tenta errar, acaba fazendo algo de bom. Até Klopp foi pego de surpresa com o lance, comemorando um tanto constrangido, como quem dissesse: “Tá, né, gol nosso, segue o baile”.

Abriu a porteira

E nessa loucura de tentar espaçar mais a defesa do Norwich, o Liverpool começou a encaixar um contragolpe atrás do outro na segunda etapa, quando entendeu onde estava a mina de ouro. Numa dessas descidas rápidas, Salah recebeu perto da pequena área e rolou para o lado. Roberto Firmino, que entrou na segunda etapa, só apareceu para cutucar e guardar. 

A zaga deu condição e demorou demais para voltar, permitindo o gol de Bobby. Tim Krul, que vinha fazendo boa partida e defesas importantes, não pôde salvar mais esse chute. Tem dias em que nada dá certo.

Salah é o propulsor do ataque do Liverpool desde que chegou. Quando não marca, ajuda outros a chegar lá. Com duas assistências na mala, o egípcio resolveu que deveria balançar as redes também. Escanteio cobrado no meio da área, a zaga tentou afastar o perigo e deu nos pés de Mo, que ajeitou e mandou a bomba no ângulo de Krul. Nem mesmo os seis homens de amarelo perto da bola e no caminho do gol conseguiram evitar. 

Até onde chegará o Liverpool?

Não é em um duelo de abertura contra o Norwich que descobriremos qual é a verdadeira capacidade do Liverpool nesta temporada. No entanto, ter de volta um de seus pilares defensivos, Virgil van Dijk, é a notícia que todo torcedor vinha esperando. Afinal de contas, um dos melhores zagueiros do mundo pode arrumar um setor bastante explorado por rivais. A ausência do holandês na última campanha é um tanto elucidativa para qualquer pergunta que seja feita sobre o quanto o Liverpool não rendeu como esperado.

Mais do que ter van Dijk de volta, o Liverpool parece ter seu trio de ataque renascido. E se porventura Sadio Mané, Firmino ou Salah não renderem, Jota pode ser uma boa alternativa, já se provou como tal. O caminho é longo até uma nova taça da Premier League, é verdade, mas quem conseguiu chegar lá recentemente como Klopp não terá tanta dificuldade assim em refazer esses passos.

Em uma rodada inaugural com boas atuações dos integrantes do Big Six, só podemos tomar como boa notícia que as principais forças estejam afiadas para a disputa que se desenha. Essa edição da Premier League tem tudo para ser especial.

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é editor-chefe da Revista Relvado, zagueiro ocasional, ex-jornalista, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo