Premier League

Everton volta a vencer Liverpool em casa após 14 anos e deixa rival longe do título

Mesmo tendo mais posse de bola, Liverpool não teve a eficiência do Everton, que está cada vez mais distante da zona de rebaixamento

O Liverpool tinha sérias esperanças de seguir firme na briga pelo título nesta quarta-feira (24), em duelo contra o rival da cidade Everton, que luta para não cair na temporada. Entretanto, o Goodison Park foi palco de um time aproveitando a força da torcida e a eficiência nas finalizações para diminuir ainda mais as possibilidades do rival visitante ser campeão da Premier League. Com gols de Jarrad Braithwaite e Dominic Calvert-Lewin, os Toffees ganharam por 2 a 0 com muito merecimento dos Reds, para festa no estádio de uma torcida sofrida, mas muito apaixonada.

O resultado causou muito alívio no lado azul da cidade de Liverpool. Mesmo ainda na 16ª posição, o Everton chegou aos 33 pontos, e agora tem oito a mais que o Luton Town, primeiro time na zona de rebaixamento. Já o Liverpool, que estava em estado de alerta, vê o sonho de conquistar o título da Premier League mais distante. Os Reds estacionaram nos 74 pontos, na segunda posição, e podem ser ultrapassados pelo Manchester City, que tem um ponto a menos e dois jogos a mais para fazer, e também viu o Arsenal, atual líder do campeonato, golear o Chelsea e chegar aos 77 pontos.

Pressão anfitriã dá resultado

Para se livrar de vez qualquer chance de rebaixamento e jogando em casa contra o maior rival, o Everton começou o Merseyside Derby com tudo, pressionando o Liverpool. O árbitro inclusive chegou a marcar um pênalti de Alisson, anulado após o VAR mostrar que Calvert-Lewin estava em posição irregular antes de ser derrubado pelo goleiro brasileiro.

O susto acordou o Liverpool, que começou a entrar com mais frequência na área dos anfitriões. Entretanto, o Everton chegou novamente com Calvert-Lewin de cabeça, mas Alisson, atento, fez excelente defesa e mostrou muito reflexo. E finalmente aos 27 minutos o time da casa conseguiu abrir o marcador. O Liverpool teve dificuldade para afastar a bola após uma cobrança de falta para a área e após bate-rebate, Branthwaite apareceu livre para bater. Alisson chegou a encostar na bola que bateu na trave, mas mesmo assim ela acabou entrando.

Atrás do placar e precisando da virada para sonhar com o título, os Reds voltaram a pressionar, e Núñez quase marcou após passe de Salah, mas Pickford impediu o gol do uruguaio. Em tabela aos 44 minutos, Diaz quase empatou, mas novamente o camisa 1 dos Toffees apareceu para garantir uma vitória parcial do Everton antes do intervalo.

Pressão do Liverpool é pouco efetiva

Com mais posse de bola, o Liverpool voltou para o segundo tempo tentando pressionar mais, mas foi o Everton que ampliou o placar. Após cobrança de escanteio de McNeil, Calvert-Lewin apareceu livre no segundo poste para cabecear com firmeza, aos 13 minutos.

O Liverpool passou a pressionar ainda mais, e aos 25 minutos, quase os visitantes empataram em chute de Díaz, que bateu na trave. Conforme o tempo passava, os Reds ficavam mais nervosos, e mostraram dificuldades para passar por uma aguerrida defesa formada por Tarkowski e Branthwaite. Aos 45 minutos, Elliott ficou próximo de diminuir o marcador, mas Pickford defendeu.

O time comandado por Sean Dyche mostrou competência para segurar o ímpeto do Liverpool, e nas arquibancadas, uma torcida que não parou de apoiar um segundo fez a festa e mereceu ver o seu time, muito mais eficiente, levar os três pontos e pintar a cidade de azul.

Foto de Vanderson Pimentel

Vanderson Pimentel

Jornalista formado em 2013, e apaixonado por futebol desde a infância. Em redações, também passou por Estadão e UOL.
Botão Voltar ao topo