Premier League

Lacazette queria ser goleiro. Mas a mãe dele não deixou

Os gols que Alexandre Lacazette fazia com a camisa do Lyon chamavam a atenção de clubes de centros mais ricos que precisavam de um atacante. O Arsenal acabou assegurando os serviços do francês, que já marcou quatro gols em oito partidas desde que chegou à Inglaterra. Mais do que ele imaginava quando era criança e queria ser goleiro.

LEIA MAIS: Lacazette precisou de 15 minutos para marcar seu primeiro gol pelo Arsenal

Foi essa a história que ele contou em entrevista ao The Sun, reproduzida por outros veículos ingleses. Lacazette gostava mais de evitar gols do que de fazê-los quando era jovem, mas encontrou um empecilho no meio do caminho: a mãe não deixou que ele fosse goleiro.

“Eu gostava de jogar no gol”, contou. “Mas minha mãe não gostava muito, achava que ser goleiro era perigoso. Ela disse que ou eu jogava como atacante ou não jogaria mais futebol”.

Lacazette também falou sobre o seu temperamento naquela época e que, às vezes, sentia-se envergonhado pelo adversário, quando a diferença de gols era muito grande. “Mas isso não acontecia muito. Acho que era bastante reservado. Ainda sou. Eu só gostava de jogar futebol com meus amigos. Se perdíamos, claro, eu ficava triste. Costumava chorar por qualquer coisa negativa. Isso mudou agora!”, tranquilizou o jogador de 26 anos.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo