BundesligaLa LigaMLSPremier League

Como é distribuído o dinheiro da TV em outros campeonatos do mundo

A Globo chama os clubes para conversar em soluções para o futebol brasileiro, mas não parece disposta a mudar o modelo de compra dos direitos de transmissão dos campeonatos. Enquanto isso, as equipes da Série B começam a se articular para criar um bloco que negocie com mais força. E, por mais que não exista uma “espanholização” do Brasileirão como os mais exaltados temeram, claramente aumentou a desigualdade social do campeonato.

ESPECIAL: Por que nem sempre você vê o jogo que gostaria

Mas como é lá fora? Vários modelos são adotados, cada um com suas virtudes e defeitos, e com sua própria capacidade de promover ou não o equilíbrio entre as equipes. Nesse universo, também entra a própria distribuição dos jogos da liga local entre as emissoras de TV, e como isso pode ajudar cada campeonato a buscar mais dinheiro para seus participantes.

Para mostrar isso, explicando quem pode transmitir a o que, e como isso é repassado aos clubes, o tema da semana da Trivela é a distribuição dos direitos dos campeonatos em cinco países. Cada um adota um modelo, e tem virtudes e defeitos que podem ser considerados no momento de se rediscutir o sistema que o Brasil adota.

Não se esqueça. Até esta terça, o tema da semana do centenário do Palmeiras continua valendo. Confira o que saiu.

Segunda: Espanha

O sistema mais parecido com o brasileiro. Cada clube negocia com quem quiser, e isso não está dando certo por lá.

Terça: Inglaterra

Um modelo misto, que tem uma parte igualitária, uma parte de torcida e uma parte de mérito esportivo.

Quarta: Alemanha

Um dos sistemas mais igualitários da Europa não tem impedido a supremacia de um clube, mas ajuda a evitar crises entre os pequenos.

Quinta: Portugal

Os clubes grandes tomam as rédeas. Não da negociação, mas da própria transmissão dos jogos.

Sexta: Estados Unidos

Pode parecer incrível, mas o esporte dos Estados Unidos tem um sistema quase comunista de distribuição de dinheiro. Como isso é fundamental para a estruturação das ligas profissionais norte-americanas.

Mostrar mais

Ubiratan Leal

Ubiratan Leal formou-se em jornalismo na PUC-SP. Está na Trivela desde 2005, passando por reportagem e edição em site e revista, pelas colunas de América Latina, Espanha, Brasil e Inglaterra. Atualmente, comenta futebol e beisebol na ESPN e é comandante-em-chefe do site Balipodo.com.br. Cria teorias complexas para tudo (até como ajeitar a feijoada no prato) é mais que lazer, é quase obsessão. Azar dos outros, que precisam aguentar e, agora, dos leitores da Trivela, que terão de lê-las.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo