Premier League

Arteta peca por ‘falar demais’ e Federação Inglesa instaura processo disciplinar contra técnico do Arsenal

Declarações de Arteta contra a arbitragem de Newcastle x Arsenal, pela Premier League, não caiu bem nos bastidores da FA

Nesta quinta-feira (16), a Federação Inglesa de Futebol (FA) instaurou um processo disciplinar contra Mikel Arteta, técnico do Arsenal. Em pauta, estão as fortes declarações do treinador espanhol em relação à arbitragem do polêmico jogo dos Gunners contra o Newcastle, no St. James’ Park, pela 11ª rodada da Premier League.

Após a derrota do Arsenal para os Magpies por 1 a 0, Arteta não conseguiu esconder a raiva e classificou a atuação da arbitragem (árbitro Stuart Attwell + VAR) como “uma vergonha absoluta”. O comandante questionou muito o lance do gol marcado por Anthony Gordon. Na ocasião, o árbitro de vídeo fez uma verificação tripla para ver se a bola havia saído de jogo antes do cruzamento de Joe Willock, se Joelinton havia cometido falta em Gabriel Magalhães ou se Gordon estava em posição irregular. Nada foi constatado e o tento acabou validado.

– Você tem que falar sobre como diabos esse gol valeu? Incrível. Eu me sinto constrangido. Agora tenho que entrar aqui e tentar defender o clube e pedir ajuda, porque é uma vergonha que esse gol seja permitido. Uma vergonha absoluta (…) Novamente, sinto-me envergonhado. Estou neste país há mais de 20 anos, e isso está longe de ser o nível adequado para se descrever como a melhor liga do mundo. Peço desculpas -, bradou Arteta depois da derrota.

Confira o comunicado da Federação Inglesa contra Arteta

Mikel Arteta foi acusado de violação da regra FA E3.1 após comentários que fez em entrevistas à mídia após o jogo do Arsenal na Premier League contra o Newcastle United no sábado, 4 de novembro. Alega-se que seus comentários constituem má conduta, pois são insultuosos para com os árbitros e/ou prejudiciais ao jogo e/ou trazem descrédito ao jogo. Mikel Arteta tem até terça-feira, 21 de novembro, para responder a esta acusação.

A Federação Inglesa não especificou quais as sanções que Arteta poderia enfrentar. No entanto, vale lembrar que Thomas Tuchel, ex-técnico do Chelsea, foi multado em 20 mil libras após ser acusado sob a mesma regra no ano passado.

Relembre o posicionamento do Arsenal

No dia seguinte ao revés em St James’ Park, o Arsenal emitiu um comunicado apoiando a declaração de Arteta e criticando veementemente o padrão de arbitragem da Premier League. Veja abaixo:

– O Arsenal apoia incondicionalmente os comentários de Mikel Arteta após o jogo, na sequência de mais erros inaceitáveis de arbitragem e do VAR no sábado à noite. Gostaríamos também de reconhecer o enorme esforço e desempenho dos nossos jogadores e dos adeptos presentes em St James’ Park. A Premier League é a melhor liga do mundo, com os melhores jogadores, treinadores e adeptos, que merecem melhor.

– A PGMOL (órgão que rege a arbitragem na Inglaterra) precisa urgentemente abordar o nível da arbitragem e de se concentrar em ações que nos façam avançar, em vez de tentativas de explicação e pedidos de desculpa. Apoiamos os esforços contínuos do Chefe da Equipe de Arbitragem, Howard Webb, e gostaríamos de trabalhar em conjunto para alcançar os padrões de arbitragem de classe mundial que a nossa liga exige -, complementou o clube londrino.

Arteta orienta jogadores do Arsenal no St. James’ Park, durante derrota para o Newcastle (Foto: Icon Sport)

O que a PGMOL disse sobre o gol de Gordon?

Na última terça-feira (14), Howard Webb, ex-árbitro e atual diretor técnico da Professional Game Match Officials Limited (PGMOL), destrinchou a ação do VAR no gol de Anthony Gordon em Newcastle x Arsenal. Durante sua fala no programa “Match Officials: Mic’d Up”, da Premier League, ele explicou que não há evidências claras tanto na possível saída de bola no lance envolvendo Willock quanto no suposto impedimento de Gordon.

Ao falar sobre a possível falta de Joelinton em Gabriel Magalhães, Howard admitiu que a infração poderia ter sido marcada, mas pontuou que o lance é interpretativo, e o VAR teve uma visão diferente disso.

Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Jornalista pela UNESA, nascido e criado no Rio de Janeiro. Cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na Trivela, é redator e escreve sobre futebol brasileiro e internacional.
Botão Voltar ao topo