Inglaterra

Postecoglou surpreendeu ao quase desprezar vaga para a Champions League

Técnico do Tottenham, Ange Postecoglou prioriza melhora gradual da equipe e não enxerga classificação para Champions League como garantia de sucesso

Sempre sincero e autêntico, Ange Postecoglou, técnico do Tottenham, concedeu mais uma boa entrevista coletiva nesta sexta-feira (8). Dentre as respostas do treinador grego-australiano, uma em especial roubou a cena e chamou atenção. Ange simplesmente recusou-se a almejar outra coisa senão o primeiro lugar na Premier League. Para o comandante, uma vaga na próxima edição da Champions League “não é um bilhete de ouro”. Em outras palavras, não é disputando a competição continental que os Spurs, necessariamente, evoluirão como equipe.

O Tottenham briga ponto a ponto com o Aston Villa pelo quarto lugar. Neste domingo (10), inclusive, encara o clube de Birmingham fora de casa, no Villa Park. Apesar da importância do jogo em termos de classificação, Postecoglou não quer que os Spurs pensem que a vaga para a Champions League 2024/2025 é sua única prioridade. O principal desejo do técnico é que o time londrino continue se desenvolvendo e melhorando até almejar o topo.

Postecoglou bateu o pé e insistiu que a classificação rumo à Champions não é garantia nenhuma de que o Tottenham esteja no caminho certo. Manchester United e Newcastle comprovaram isso na prática na atual temporada. A dupla esteve na fase de grupos do torneio continental e sequer conseguiu vaga no mata-mata. Hoje, tanto Red Devils quanto Magpies atravessam momentos turbulentos e se encontram atrás do Tottenham na tabela da Premier League.

Outro exemplo que ilustra bem o pensamento de Postecoglou aconteceu com os Spurs em 2022/2023. A equipe disputou a Champions League da temporada passada, porém acabou eliminada de maneira precoce nas oitavas (Milan) e apresentou queda de rendimento na Premier League depois isso. O treinador grego-australiano sabe que seu trabalho à frente do Tottenham será julgado pela evolução do time em campo nas próximas temporadas, e não pela competição europeia que disputa.

– Não vejo sentido em tentar almejar algo diferente do número um. Não estou desesperado para conseguir algo apenas para conforto ou seguro. “Estou aqui para criar uma equipe que ganhe coisas. Para mim, desafia a lógica. Simplesmente não fui construído dessa maneira – almejar algo que não seja o topo. Agora, isso não significa que você sempre chegará lá. Mas não vou me contentar com nada além disso. Se eu falhar, bem, isso é por minha conta. Mas não vou ficar sentado aqui e tentar criar um cenário onde estejamos felizes com qualquer coisa além de sermos os melhores -, disse Ange.

Postecoglou ainda foi questionado se estar na Champions League da próxima temporada seria um passo importante no desenvolvimento da equipe. Ele novamente argumentou que o mais importante é fazer o time melhorar, independente de qual torneio dispute.

– O mais importante é que, no final deste ano, teremos uma equipe que vai desafiar o ano seguinte e continuar crescendo. Neste momento, o mais importante somos nós, a nossa identidade e o nosso futebol. Não é um bilhete dourado de Willy Wonka, sabia? Isso dá a você um ano na Champions League. Mas se você não desenvolver ou crescer a partir disso, não terá sentido.

– Porque não estamos nisso pela participação. Estamos nisso para ganhar coisas. Sim, se chegarmos à Champions League este ano significa que progredimos em relação ao ano passado. Mas será que o nosso futebol progrediu? Somos uma equipe melhor? Somos uma equipe mais forte? Vamos melhorar no verão para ter certeza de que no próximo ano estaremos ainda melhores? Isso é muito mais importante para mim.

O passado do Tottenham corrobora o pensamento de Postecoglou

Nos últimos anos, a diretoria do Tottenham foi julgada por sua capacidade de levar (ou não) a equipe à Champions League. Harry Redknapp fez isso, André Villas-Boas não. Mauricio Pochettino foi além. Não só conseguiu, bem como colocou os Spurs na final (derrota para o Liverpool). Posteriormente, José Mourinho fracassou nessa missão. Antonio Conte, por sua vez, obteve êxito. No entanto, do que adiantou? O time caiu drasticamente de produção na temporada seguinte, validando o pensamento de Postecoglou de que a mera classificação não garante nada.

Para o atual comandante do Tottenham, a melhoria da equipe nesta temporada foi o mais importante. E a evolução em 2024/2025 passa a ser o principal objetivo futuro. Com 50 pontos ganhos, cinco atrás do Aston Villa – primeiro time na zona de classificação para Champions – os Spurs ocupam a quinta colocação da Premier League. Em 26 rodadas disputadas, o clube londrino venceu 15, empatou cinco e perdeu seis.

– Minha meta este ano sempre foi criar uma equipe que, espero, estabeleça bases sólidas para seguir em frente como uma equipe que pode vencer coisas. É aí que começa e termina. Logicamente, como você diz, se melhoramos e chegamos à Champions League, significa que tivemos um ano decente. Mas isso não vai me dar nenhum conforto se não estivermos jogando o futebol que eu quero e não tivermos melhorado no período de entressafra para ter certeza de que estamos prontos para o próximo passo.

Próximos jogos do Tottenham

  • Aston Villa x Tottenham – Premier League – 10/03
  • Fulham x Tottenham – Premier League – 16/03
  • Tottenham x Luton Town – Premier League – 30/03
Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo