Inglaterra

Para sempre capitão: John Terry é confirmado como dono da braçadeira do Aston Villa

John Terry sempre será lembrado como um grande líder no Chelsea. Mais do que um dos zagueiros mais sólidos de sua geração, foi como capitão que o inglês se estabeleceu um patamar além no panteão de ídolos em Stamford Bridge. E a vocação do veterano se manterá no Aston Villa, onde dará sequência à sua carreira. O clube da segunda divisão inglesa confirmou que a braçadeira será de Terry na próxima temporada, já usando a faixa neste sábado, durante seu primeiro jogo da pré-temporada.

VEJA TAMBÉM: Bom relacionamento com técnico e diretor de futebol leva Terry ao Aston Villa

A estreia de Terry, contudo, não foi das mais felizes. O Aston Villa perdeu para o Shrewsbury Town, que lutou contra o rebaixamento na terceira divisão. A presença do ex-zagueiro da seleção não intimidou os adversários, que venceram por 2 a 1. Zak Jules e Arthur Gnahoua balançaram as redes para os visitantes, enquanto os Villans descontaram apenas nos minutos finais, com Henry Lansbury. O novo capitão permaneceu em campo até os 16 do segundo tempo, substituído pelo técnico Steve Bruce.

Estreando pelo Chelsea em outubro de 1998, Terry usou a braçadeira do Chelsea pela primeira vez em dezembro de 2001, dois dias antes de completar 21 anos. Firmou-se como vice-capitão a partir de então e assumiu o posto de vez em 2004, após a aposentadoria de Marcel Desailly. Em 13 temporadas capitaneando os Blues, o zagueiro ergueu 16 taças, incluindo cinco da Premier League e uma da Liga dos Campeões. Uma das faixas mais comuns em Stamford Bridge nos últimos anos glorificava o “capitão, líder e lenda”. Agora, oferecerá a sua voz e o seu exemplo para tentar levar o Aston Villa de volta à primeira divisão, após campanha decepcionante na última Championship.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo