InglaterraPremier League

Os 3 gols de Mané em menos de 3 minutos simbolizam o massacre do Southampton no Villa

Fazer três gols em um jogo é uma tarefa sempre difícil, mas três gols em dois minutos e 54 segundos é algo mais do que difícil, é quase impossível. Mas foi feito. Sadio Mané foi o autor da façanha, com grande colaboração da defesa do Aston Villa, fez os três primeiros gols do Southamtpon sobre o Aston Villa na goleada fantástica dos Saints por 6 a 1.

VEJA TAMBÉM: O que se faz na sexta à noite? Na Polônia, golaço de um uruguaio

É algo surpreendente porque o jogo não deu indicação que seria assim nos primeiros minutos. O Southampton era melhor, começou criando chances e poderia ter marcado logo no começo quando Graziano Pellè recebeu em posição legal e marcou, mas o árbitro marcou impedimento e anulou a jogada. Benteke teve uma chance clara para abrir o placar para o Aston Villa logo depois, mas chutou para fora, para desespero do técnico Tim Sherwood.

Foi aí que começou o pesadelo do Villa. Aos 13 minutos, Mané marcou o primeiro gol. Dois minutos e 54 segundos, o placar já estava 3 a 0, todos gols marcados pelo senegalês. Um massacre com Vlaar e Hutton protagonizando momentos terríveis de uma defesa completamente perdida.

Eram menos de 15 minutos e o placar já estava em 3 a 0. Foi o hat trick (como os ingleses chamam quem faz três gols) mais rápido da história da Premier League. O recorde antes era de Robbie Fowler, pelo Liverpool, no dia 28 de agosto de 1994. Naquela época, com 19 anos, Fowler marcou três gols em quatro minutos e 32 segundos.

Mas não pararia por aí. Aos 26 minutos, Long marcou mais um gol. Aos 38, Long marcou outro, desta vez aproveitando um novo vacilo e com muita classe. Depois de interceptar um passe errado, Long viu o goleiro Given adiantado e mandou dali mesmo para o gol. Os dois são companheiros de seleção da Irlanda, mas Long pareceu não ter piedade do companheiro em um chute de longa distância que encobriu o companheiro de seleção. Golaço e que decretava, ali, que não havia mais volta. Nem uma reação fantástica seria capaz de mudar o resultado. Benteke até marcou de cabeça o gol do Aston Villa, mas estava claro que não tinha mais como evitar a derrota, mesmo com um tempo inteiro pela frente.

O segundo tempo foi praticamente uma burocracia. Os dois times já sabiam quem tinha ganhado o jogo e os jogadores do Aston Villa viviam um purgatório, sabendo que já estavam destinados ao inferno. Uma tortura de 45 minutos que ainda teria mais uma espetada. Ainda houve tempo para mais um gol, desta vez de Graziano Pellè, um dos destaques do time. Foi o gol de misericórdia. Os 6 a 1 foram o placar do jogo.

Veja os gols:

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo