Inglaterra

O Derby County se salva do risco de falência, comprado por um empresário local que é torcedor do clube

O Derby County passou os últimos nove meses sob intervenção judicial e teve três negociações frustradas, até selar o seu futuro com o apoio de um empresário do ramo imobiliário

A torcida do Derby County, enfim, terá uma noite para dormir tranquila sem temer a falência do clube. Os Rams passaram os últimos nove meses sob intervenção judicial e precisavam encontrar novos donos para evitar a bancarrota. O processo de venda se arrastava, com interessados recusados, desistências e o tempo cada vez mais escasso para fugir da quebra. Então, nesta sexta, o Derby anunciou que o processo de aquisição está completo – e por alguém da própria cidade. David Clowes é um empresário local e torcedor de longa data, que tentará reconstruir a equipe a partir da terceira divisão do Campeonato Inglês.

O Derby County procurava novos donos desde outubro de 2020. O clube era administrado pelo empresário Mel Morris, acionista majoritário a partir de 2015. Apesar dos altos investimentos, o magnata não conseguiu o acesso à Premier League. Com o cenário econômico agravado pela pandemia, ele optou pela venda. Alguns negócios foram alinhados, mas a falta de garantias impedia acordos. Sem receber mais investimentos, o time parecia abandonado e a temporada 2020/21 já foi caótica. Mas, apesar de um embargo no mercado de transferências, os Rams evitaram o rebaixamento heroicamente na segunda divisão do Campeonato Inglês.

Mel Morris não mudou de ideia com a permanência e, em setembro de 2021, fez o pedido de intervenção judicial sobre o Derby County. Desta maneira, o empresário admitia não ter condições de gerir a instituição e acionava uma administração externa. Os novos controladores fariam uma gestão austera, enquanto procurariam compradores. Por conta do processo, 21 pontos foram deduzidos dos Rams na tabela da Championship em 2021/22. Sem investimentos, a equipe faria uma campanha cambaleante, apesar de certo brio mantido pelo técnico Wayne Rooney. Porém, a luta não evitou o rebaixamento, com o retorno à terceira divisão após 36 anos.

Pior que a queda era a impossibilidade de planejar o futuro do Derby County. Existia uma expectativa de que o clube encontrasse novos compradores ainda durante a temporada passada, mas os interessados não cumpriam os requisitos e os riscos de falência aumentavam. Foram três negociações principais frustradas, incluindo a mais recente com o empresário americano Chris Kirchner. No meio de junho, quando a aquisição parecia próxima de acontecer, o magnata não cumpriu os prazos para completar a transação e retirou sua proposta. Com isso, o tempo ficava mais curto para garantir a participação dos Rams na League One 2021/22.

Outros empresários mantinham suas propostas pelo Derby County, incluindo Mike Ashley, o odiado ex-proprietário do Newcastle. Contudo, quem levou a melhor foi mesmo David Clowes, empresário do ramo imobiliário e torcedor dos Rams desde a infância. O milionário já tinha um envolvimento direto na crise, ao se tornar proprietário do estádio do clube, o Pride Park, e também ao oferecer um empréstimo para viabilizar o pagamento de salários para o início da próxima temporada. Na última semana, o inglês de 53 anos anunciou que faria uma oferta e o processo de aquisição se desenrolou rapidamente. A partir de agora, ele será o responsável direto por guiar os rumos da agremiação na tentativa de contornar as dívidas e recuperar a relevância esportiva.

“Eu não poderia ficar parado quando o risco de perder o Derby County se tornou muito real. Eu não poderia me olhar no espelho se não tivesse feito tudo o possível para proteger o clube. É por isso que é tão emocionante fazer parte do processo de construir um novo futuro no Pride Park, para os torcedores e os funcionários leais do clube, que passaram por tantas coisas. A decisão de me envolver na compra do estádio, e logo depois do clube, não foi fácil. Como uma pessoa discreta, não queria publicidade e preferia continuar como um torcedor anônimo, assistindo ao time do meu assento habitual. No entanto, se esse é o preço por assegurar o futuro do Derby, que assim seja”, comentou Clowes, em seu primeiro comunicado.

“Não farei promessas extravagantes, mas posso confirmar minhas intenções. Meu foco agora é estabilizar o clube em todos os departamentos e garantir que tenhamos as bases para o sucesso, independentemente do tempo que isso demore. Pretendemos trazer para o Derby County os mesmos princípios que acreditamos terem sido as razões por trás do sucesso da Clowes Developments. Estamos inseridos no coração da comunidade e reconhecemos o que é importante para as pessoas da Derby – integridade, transparência e uma maneira direta de fazer negócios”, complementou. “Palavras, eu sei, podem ser vãs e por isso, daqui para frente, pretendemos ser julgados por nossas ações. Juntamente com minha equipe, farei tudo ao meu alcance para tornar o Derby County seguro, protegido e bem-sucedido por muitas gerações”.

Já a administração interina que gere o Derby County durante a intervenção judicial festejou o acordo: “O nível de complexidade envolvido na conclusão deste negócio não tem paralelo. Agradecemos todos os acionistas e seus conselheiros pelo trabalho duro que nos permitiu superar vários desafios, e que permitem resgatar esse clube histórico”. Andrew Hosking, um dos dirigentes atuais, prometeu um “novo começo” diante das garantias oferecidas por Clowes. Mesmo com a intervenção judicial, o Derby County viu suas dívidas em impostos aumentarem para £36 milhões. O clube ainda deve £24 milhões de um empréstimo.

O primeiro desafio da nova gestão estará na preparação do time para a próxima temporada. Na última semana, Wayne Rooney deixou o comando técnico. O ex-atacante saiu de maneira repentina, sobretudo após recusar propostas da Premier League anteriormente. Não deu detalhes de sua motivação, mas a decisão ocorreu logo após o negócio frustrado com Kirchner, no dia em que Clowes admitiu publicamente fazer uma proposta. Ficou uma história de lealdade e dedicação mesmo diante de tamanhas dificuldades. Já o elenco conta com apenas cinco jogadores sob contrato, diante das restrições de transferências das últimas semanas. A Football League retirou o embargo, embora exista um teto de gastos nesta janela. O trabalho será árduo antes do início da League One, em 30 de julho.

David Clowes transmite uma segurança ao Derby County, como um empresário local e um frequentador do estádio. Com ele, os Rams não devem ficar à mercê dos interesses de quem sequer reconhece o clube e poderão contar com alguém que valoriza a própria identidade do time. O distanciamento entre o negócio e a paixão é um ponto de discussão, até porque nada impede que Clowes vire as costas se tiver prejuízo. De qualquer maneira, a tendência é que seja mesmo alguém interessado em restabelecer o Derby sem buscar lucros. Neste momento à beira do abismo, é alguém bem-vindo entre os torcedores. Vai iniciar uma jornada no buraco, que deve levar um tempo até recobrar minimamente a grandeza da histórica agremiação.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo