Inglaterra

Mendy tem pedido por fiança negado e promotora diz que ele foi detido pela primeira vez em novembro de 2020

O lateral esquerdo do City ouviu as acusações de estupro e agressão sexual contra ele nesta sexta e seguirá detido pelo menos até o começo da próxima semana

O lateral esquerdo do Manchester City, Benjamin Mendy, ouviu as acusações de estupro e agressão sexual contra ele nesta sexta-feira em um tribunal de Chester, ao sudoeste de Manchester, e ficará na prisão pelo menos até o começo da próxima semana após ter o seu pedido por fiança negado.

Mendy é acusado de estupro por três mulheres, uma delas menor de 18 anos, que teriam acontecido entre outubro de 2020 e agosto de 2021. Mendy falou apenas para dar seu nome, endereço e data de nascimento ao tribunal. Embora não tenha se declarado nem culpado ou inocente, nega as acusações.

Segundo o relato do Guardian, durante a audiência, a promotora Debbie Byrne disse que Mendy foi detido pela primeira vez em 11 de novembro do ano passado, um mês depois de quando teriam ocorrido três das quatro acusações de estupro que ele enfrenta. Foi detido novamente em janeiro, suspeito de agressão sexual, outra das denúncias contra ele.

Nesta semana, a polícia foi chamada para a sua casa em Cheshire, onde Mendy dava uma festa para até 21 pessoas. As condições de fiança estipulavam que ele não podia dar festas em sua casa e ele foi consequentemente levado sob custódia, com outra acusação de estupro que teria ocorrido também esta semana em sua residência.

A promotora argumentou, com base nesse histórico, que Mendy deveria permanecer sob custódia para evitar outras ofensas porque havia demonstrado uma indisposição “arrogante” para cumprir as condições da sua fiança, “continuando a conduzir sua vida social como ele quer”.

O advogado do francês, Christopher Stables, disse que Mendy havia ficado “dois dias e duas noites” sob custódia, o que havia sido um “verdadeiro choque” para ele e que a experiência teria sido uma “lição” do que pode acontecer se ele não cumprir as condições da fiança e que, se fosse solto, ele saberia que é a sua “última chance”.

Segundo o advogado, Mendy se ofereceu a transferir £ 50 mil imediatamente ao tribunal como segurança para sua fiança e aceitou acatar um toque de recolher e usar tornozeleira eletrônica, o que efetivamente seria uma prisão domiciliar, em uma “casa muito menor” de um amigo em Manchester.

O juiz Jack McGarva disse que não estava convencido que Mendy não cometeria outras ofensas caso fosse solto e negou o pedido de fiança. De acordo com o relato do Guardian, Mendy não mostrou reação ao ser levado às celas da prisão do tribunal.

O próximo compromisso de Mendy no tribunal será em 10 de setembro e ele pode ficar preso até essa data, a menos que seus advogados apelem da decisão sobre a fiança. De qualquer maneira, essa apelação não seria ouvida até o começo da próxima semana, após o fim de semana prolongado pelo feriado bancário no Reino Unido na segunda-feira.

Desde a sua primeira prisão, em novembro, Mendy fez 18 jogos pelo Manchester City na última temporada por todas as competições e outros dois no começo desta, na Supercopa da Inglaterra contra o Leicester e na rodada inicial da Premier League diante do Tottenham. Não saiu do banco de reservas contra o Norwich.

Com dez jogos pela seleção francesa, Mendy foi contratado pelo Manchester City por cerca de € 58 milhões para ser o titular da lateral esquerdo, mas sérias lesões prejudicaram seus dois primeiros anos na Inglaterra e ele nunca se firmou de verdade no time de Pep Guardiola.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo