Inglaterra

Liverpool começa provável rodada de renovações com um dos seus jogadores mais valiosos: Trent Alexander-Arnold

Segundo o The Athletic, Fabinho, Salah, Mané, Robertson, Alisson e Van Dijk devem ser os próximos a receber propostas de novos contratos

O Liverpool começou o processo de renovações de contrato que será uma das principais missões do diretor esportivo Michael Edwards durante esta janela de transferências com a extensão do vínculo de Trent Alexander-Arnold. O garoto formado em casa estendeu sua permanência em Anfield em apenas um ano, de 2024 a 2025, mas recebeu termos melhores e foi apenas o primeiro de uma provável longa lista.

Segundo o The Athletic, o Liverpool quer garantir o núcleo duro do time que conquistou os títulos da Premier League, da Champions League e do Mundial de Clubes sob o comando de Jürgen Klopp com contratos maiores e mais longos. Após Arnold, Fabinho, Van Dijk, Salah e Mané, com vínculos até 2023, e Andrew Robertson e Alisson, até 2024, devem ser os próximos.

O desafio da diretoria vermelha é manter a espinha dorsal campeã e renovar pouco a pouco para que o time não tenha um excesso de jogadores com mais de 30 anos com salários altos. Por isso, as tratativas com Georginio Wijnaldum não avançaram e há o risco até de perder Jordan Henderson – o que seria um erro crasso pela influência que o capitão tem com o vestiário e as arquibancadas. Também não é certo que Roberto Firmino, em queda de desempenho há um ano e meio, receba uma proposta.

Com exceção das grandes taxas de transferências que foram pagas por jogadores como Van Dijk, Fabinho e Alisson, o mercado do Liverpool costuma ser mais modesto do que o de rivais como Chelsea, Manchester United e Manchester City, mas o investimento tem sido feito principalmente na folha salarial, que dobrou desde a chegada de Jürgen Klopp para £ 325 milhões na temporada 2019/20, a segunda maior da Premier League, atrás do City (£ 351 milhões), segundo o Liverpool Echo.

Começar por Arnold, 22 anos, faz sentido porque ele é o mais jovem entre os principais jogadores do clube e tem o ingrediente especial de ser um garoto que nasceu e cresceu em Liverpool sonhando em atuar no time principal. “É o único clube que eu conheço”, afirmou, em entrevista ao site de clube comemorando a renovação. “Estar aqui esse tempo todo e renovar para ficar mais tempo ainda aqui é incrível para mim e para minha família. É um momento de orgulho para mim”.

“Sabendo quantas pessoas queriam fazer isso quando estava crescendo e quantas tentaram, é tão difícil conseguir e significa muito para mim. Alguns anos atrás, eu queria me estabelecer como alguém que jogava com regularidade e depois ser uma espécie de titular, que não podia sair do time. Acho que nos últimos anos eu consegui isso”.

“Agora, quero ser campeão, liderar o time, de certa maneira, ser mais um líder em campo, fora de campo para os jovens. Me estabelecer nesses tipos de papéis como um líder seria um dos meus objetivos”, disse o jovem, que se inspira nos capitães Henderson, Milner e Van Dijk.

Após ser campeão da Premier League na temporada interrompida pela pandemia, o Liverpool sofreu uma série de lesões de jogadores importantes e nunca conseguiu encontrar o seu melhor futebol na campanha passada. Recuperou-se bem a tempo de terminar a liga com dez rodadas de invencibilidade – oito vitórias – e se classificar à Champions League em terceiro lugar.

“Fomos campeões nas temporadas passadas e estávamos no topo do mundo – campeões mundiais, campeões da Premier League, tínhamos tudo. Então foi meio que um choque de realidade a última temporada, com muitos obstáculos no meio do caminho. Foi uma pequena conquista conseguir terminar entre os quatro primeiros pela maneira como o cenário esteve durante a temporada em alguns momentos”.

“Mas acho que todos nós ainda ficamos decepcionados por como a temporada correu. Queríamos vencer coisas, queríamos defender melhor o título da Premier League. Mas futebol é assim. Precisamos nos focar no que virá na próxima temporada e como podemos nos adaptar a isso e saber que recuperamos aquela fome para sermos campeões”.

“Esse é sempre o objetivo. Estamos de olho em troféus. Não é mais entrar no top quatro ou ir bem, jogar futebol europeu ou coisas assim, quartas de final, semifinais. Queremos estar brigando pelo título em maio, queremos estar na final da Champions League, queremos estar nas finais das copas inglesas”.

“Queremos ir o mais longe que pudermos. Eu acho que nesta temporada, brigaremos em todas as frentes para vencer o máximo de troféus que pudermos. Acho que não houve nada para comemorar na temporada passada, mas espero que nos motive a colocar as mãos em mais troféus”, encerrou.

Por enquanto, o Liverpool reforçou o seu elenco apenas com o zagueiro Ibrahima Konaté, do RB Leipzig, e deixou Wijnaldum sair para o PSG ao fim do seu contrato. Também vendeu os mais periféricos Harry Wilson, ao Fulham, Taiwo Awoniyi ao Union Berlim e Marko Grujic, ao Porto.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo