Inglaterra

Klopp: “O gol foi a cereja do bolo, mas Darwin teria ido muito bem mesmo se não o marcasse”

Depois das críticas sofridas por Darwin Núñez na pré-temporada, Jürgen Klopp destacou o papel do atacante na Community Shield

Liverpool e Manchester City investiram pesado em novos centroavantes. São jovens, promissores e custaram caro pelo talento que já apresentavam. Ambos terminariam a Community Shield como personagens centrais. Darwin Núñez impulsionou o título dos Reds ao sair do banco, gerando um pênalti e deixando seu gol para fechar a vitória por 3 a 1. Já Erling Braut Haaland não participou tanto, sem que os companheiros ajudassem, mas também perdeu uma chance imensa de descontar. Depois da decisão, os dois técnicos comentaram os desempenhos.

Jürgen Klopp falou sobre a volta por cima de Darwin Núñez. O uruguaio foi bastante criticado por alguns erros na pré-temporada, mas não se intimidou. Recebeu amplos aplausos durante a Community Shield e correspondeu com um papel decisivo, participando bastante.

“Foi bom, foi muito bom. Está claro que ele vai melhorar com o tempo. Vivemos num mundo no qual todo mundo é julgado à primeira vista e isso não ajuda ninguém, por mais que aconteça constantemente. Nos primeiros jogos da pré-temporada não estávamos nem perto do nível físico de hoje. Então, quando Darwin entrou, passamos cada bola para ele e, depois da terceira, ele estava completamente morto. Todo mundo julgou seu domínio e essas coisas. É apenas uma brincadeira, mas temos que conviver com isso, e ele lidará brilhantemente. Somos pacientes e sabemos que ele pode fazer coisas boas”, analisou.

“Todos nós sabemos que os atacantes são uma espécie especial. A outra coisa que todos precisam são pequenas positividades. Isso significa gols ou participação em gols. Acho que Darwin teria ido bem mesmo sem marcar o terceiro, porque o pênalti veio na sua cabeçada. Ele foi bem na chance anterior, mas Ederson reagiu de forma brilhante. O gol foi obviamente a cereja do bolo, então fico muito feliz por ele. Você podia ver no rosto dele e dos companheiros quão felizes os rapazes estavam por ele. Isso é realmente um bom sinal depois do curto período em que ele está conosco”, concluiu.

Por outro lado, Pep Guardiola protegeu Haaland. Não há qualquer dúvida sobre a qualidade do centroavante, mesmo que o gol perdido provoque brincadeiras. O espanhol afirmou que ainda há muito para se adaptar e se crescer na sequência do trabalho.

“Ele teve chances, duas ou três no primeiro tempo e uma no final. Estava sempre presente. Erling é forte, em outro momento ele vai botar nas redes. Isso acontece, é futebol. Ele estava lá, ainda teve um gol anulado porque a bola passou a linha de fundo”, pontuou. “Erling lutou bastante e se movimentou bem. É bom para ele ver a realidade de um novo país e de uma nova liga. Ele estava lá, mas hoje não marcou e em outro dia marcará. Erling tem uma qualidade incrível, então vai fazer isso. Foram só duas semanas de trabalho e estou muito confortável com o que vimos desde que chegamos. Não estou absolutamente preocupado. Ele vai nos ajudar”.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo