Inglaterra

Klopp fala sobre temporada quase perfeita, seu legado, sangue novo e a “contratação” de Salah

O técnico deu uma boa entrevista à ESPN britânica tocando em vários pontos da última temporada e do que o Liverpool pode esperar para o futuro

Jürgen Klopp renovou contrato com o Liverpool até 2026, então ainda é muito cedo para falar sobre como o clube ficará quando ele finalmente decidir ir embora, mas em entrevista à ESPN, o treinador alemão deixou claro que o objetivo tem que ser deixar uma situação saudável e um time que esteja pronto para entrar em um novo capítulo.

Um novo capítulo é o que Liverpool tem pela frente na próxima temporada. Sadio Mané foi embora, para o Bayern de Munique, a mudança mais marcante do processo de renovação em andamento em Anfield. Nada drástico por enquanto, mas novas peças se encaixando em jogadores que construíram uma história importante no clube nos últimos anos. Uma mistura que deixa Klopp animado.

E que, ele espera, seja capaz de mais uma vez brigar por todos os principais títulos. O Liverpool conquistou as duas copas nacionais na última temporada, chegou à final da Champions League e disputou ponto a ponto a Premier League com o Manchester City. Os dois principais títulos escaparam e, embora reconheça a decepção, Klopp parece pronto para tentar novamente.

Contou o quanto foi importante receber muito afeto dos torcedores que lotaram as ruas de Liverpool para festejar o time que retornava de Paris derrotado pelo Real Madrid. “Doeu no momento, isso foi claro, quando ficamos perto da liga e perdemos a final da Champions League, mas honestamente, o dia seguinte nos mostrou tudo que precisávamos saber. O povo, é óbvio. É isso que fazemos: fazemos pelas pessoas e eles obviamente gostaram muito do que fizemos ao longo do ano”, disse. “Foi uma temporada espetacular, com uma quantidade de pontos insana, uma quantidade de jogos insana e todo esse tipo de coisa, então são reflexões realmente muito positivas”.

Klopp gastou, entre aspas, alguns anos para reconstruir o Liverpool, devolvê-lo à Champions League e montar um time capaz de disputar os títulos. Essa segunda fase do seu trabalho é basicamente correr atrás dos títulos para compensar as décadas em que os Reds foram relegados ao segundo escalão. Esse é um tipo de legado que ele pode deixar. O outro é uma estrutura que sustente sucesso durante muitos anos – como fez Bill Shankly lá atrás.

“Meu objetivo é vencer o máximo possível, é claro, mas quando você sai, você tem que sair com o clube na melhor situação possível. Eu acho que isso é realmente importante. É o que faz um legado de verdade porque se você espremer tudo de um clube e ir embora, alguém tem que limpar o lixo ou o que quer que seja. Não é como tem que ser. O clube tem que estar na posição mais saudável possível e tem que ter um time pronto para entrar no próximo capítulo”, explicou. “Mas isso é para o futuro. No momento, estou muito feliz com as circunstâncias e com o time que montamos”.

Nesse sentido, é muito importante que Klopp esteja rejuvenescendo o seu elenco. Além de Mané, Divock Origi e Takumi Minamino também saíram nesta janela de transferências. Darwin Núñez, possível reforço mais caro da história do Liverpool, foi contratado para substituir o senegalês. Luis Díaz havia chegado em janeiro, e os jovens Fábio Carvalho e Calvin Ramsay são apostas para o futuro.

“É muito empolgante porque os rapazes estão frescos e cheios de ânimo, com os olhos enormes, juntos conosco, então muda a dinâmica do grupo e isso é muito necessário”, disse. “Estou na minha sétima temporada e é importante que não façamos sempre as mesmas coisas o tempo todo. Temos que nos pressionar ao próximo patamar e para isso você sempre precisa de uma visão nova e é isso que temos”.

“Do ponto de vista de idade, agora está muito interessante. Temos qualidade da juventude, jogadores muito experientes e todas essas coisas em uma mistura. Mas todos eles estão cheios de determinação e desejo de dar o próximo passo e vencer mais e é isso que é realmente importante. O que eu digo é que tudo que fazemos é baseado no passado, mas que temos que estar prontos para o presente e preparados para o futuro. Temos que fazer tudo isso ao mesmo tempo e acho que estamos em boa posição”, completou.

Caras novas são importantes. Manter as velhas também. A grande notícia do mercado do Liverpool foi a renovação de contrato de Mohamed Salah. Klopp afirma que nunca esteve preocupado. Sempre soube que o jogador queria ficar e que o clube queria mantê-lo. “Foram apenas negociações. Se você faz isso em qualquer outro negócio, ninguém fica sabendo. Mas no futebol, fazemos tudo em público e foi por isso que pareceu, às pessoas, um pouco tenso, mas para nós nunca foi assim”, explicou.

“Foi uma contratação muito importante para nós. Eu sempre vejo deste jeito: se o tivéssemos contratado agora de outro clube, uau, que jogador teríamos. Mas agora nós o temos aqui ainda e isso é muito bom. Você o vê aqui agora e ele está absolutamente feliz sobre o futuro conosco, então, sim, grande notícia”, acrescentou.

Tudo isso será necessário para desafiar o Manchester City mais uma vez. Com exceção da primeira temporada cheia da pandemia, quando o Liverpool passou por uma epidemia de lesões, os dois clubes têm polarizado a disputa do futebol inglês. Respeitoso, Klopp não quer descartar os outros competidores e lembra que enfrentou o Chelsea quatro vezes (além da Premier League, nas finais da Copa da Inglaterra e da Copa da Liga, vencidas nos pênaltis) e não ganhou nenhuma com a bola rolando.

“Você tem que olhar para o Tottenham e para o que eles estão fazendo neste momento. Eles não ficaram piores este ano. O Arsenal ainda está lá, o Manchester United tem um novo começo, todo esse tipo de coisa. É sempre a mesma coisa e mudamos um pouco, não muito. Mas um pouco. O City talvez mudou mais, eu não sei, mas vamos ver nas próximas semanas. Mas é assim que é. A base tem que ser certa e é certa para nós. Não estou interessado nos pontos que tivemos ano passado, estou apenas interessado nos que podemos ter nesta temporada, mas sou positivo, muito otimista, mas não tenho certeza. Teremos que lutar e ver qual será o resultado”, encerrou o técnico.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo