Inglaterra

Kevin De Bruyne pode fazer igual Messi e esnobar a Arábia Saudita

Com contrato até metade de 2025 com o City, De Bruyne ainda não foi procurado para renovação e estuda próximo passo na carreira

Ídolo do Manchester City e um dos grandes pilares do esquadrão formado por Pep Guardiola, Kevin De Bruyne tem contrato até junho de 2025 com os Citizens. Mesmo faltando mais de um ano para este vínculo expirar, o meio-campista desde já começa a pensar em seu futuro. E sim, o próximo passo da carreira do belga pode ser não renovar com o clube inglês e desbravar outro mercado futebolístico.

Nos últimos meses, o City tem adotado uma postura ‘fria' e relutante sobre conceder extensões de contrato aos seus jogadores mais velhos. İlkay Gündoğan, por exemplo, é um claro exemplo disso. Multicampeão pelo clube de Manchester e benquisto por Guardiola, o meia alemão não renovou o vínculo com os Citizens e rumou para o Barcelona em uma transferência gratuita.

Em relação a De Bruyne, segundo a imprensa inglesa, o City negaria todo o apego emocional que nutre pelo camisa 17 caso uma oferta na casa de 90 milhões de libras chegasse da Arábia Saudita. No entanto, o próprio meio-campista belga deixou claro o seu sentimento sobre uma potencial transferência para o Médio Oriente. Ele não gosta da ideia e prefere mudar-se para a MLS, seguindo os mesmos passos de Lionel Messi.

Relação fraternal com o City ou aposentadoria nos EUA? De Bruyne tem uma escolha a fazer em um futuro próximo

Apesar das dúvidas sobre seu futuro, Kevin De Bruyne acredita fielmente que ainda pode fazer muito pelo Manchester City. E ele de fato pode. Recém recuperado de uma grave lesão sofrida no início da atual temporada, o meia voltou aos gramados com tudo. Em nove jogos disputados desde o retorno, são dois gols marcados e sete assistências concedidas.

Em contrapartida, se por um lado De Bruyne tem ciência do quanto significa para o City e o quanto seria importante para o clube de Manchester tê-lo por perto durante mais algumas temporadas, por outro, o talentoso belga de 32 anos de idade começa a priorizar também o futuro e bem-estar de sua família. E a ideia de se aposentar nos Estados Unidos parece muito atraente no imaginário do jogador.

Há tempo para pensar. O que se sabe, neste momento, é que a diretoria do Manchester City ainda não fez nenhum contato com De Bruyne sobre um novo acordo de renovação de vínculo. Fato que faz o belga analisar minuciosamente todas as possibilidades relacionadas ao próximo passo de sua carreira. E como citado acima, seguir os passos de Messi é uma boa alternativa a considerar.

Dito isso, se optar pelo futebol dos Estados Unidos, a estrela dos Citizens poderia tentar um contrato semelhante ao do craque argentino, onde ganharia quase 150 milhões de dólares em dois anos. Porém, enquanto não define o futuro, De Bruyne segue à disposição de Guardiola. Nesta terça-feira (27), a partir das 17h (horário de Brasília), o clube de Manchester enfrenta o Luton Town, fora de casa, em jogo válido pela 27ª rodada da Premier League.

Os excelentes números de Kevin De Bruyne pelo City

No dia 30 de agosto de 2015, De Bruyne foi anunciado oficialmente como reforço do Manchester City. A partir daí, uma belíssima história começou a ser escrita. Em pouco tempo, o meio-campista vindo do Wolfsburg caiu nas graças da torcida dos Citizens. O motivo para esse amor à primeira vista? A genialidade e qualidade técnica acima da média do belga. Mais do que os gols, assistências e lances de efeito, o camisa 17 goza de uma rara visão de jogo e consegue enxergar o que muitos não enxergam dentro das quatro linhas. Com maestria, Pep Guardiola soube (e sabe) extrair o melhor do craque, e De Bruyne se tornou um dos principais nomes da história do clube.

De Bruyne no Manchester City (2015-2024)

  • 367 jogos
  • 98 gols
  • 161 assistências
  • 14 títulos (sendo uma Champions League e cinco Premier Leagues)
Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo