Inglaterra

Ingleses pedem sistema de votação mais transparente na Fifa

O presidente da candidatura inglesa à Copa do Mundo de 2018, Andy Anson, afirmou que não há sentido em candidatar-se novamente enquanto o sistema de votação da Fifa não mudar e tornar-se mais transparente.

A Inglaterra perdeu a disputa para ser sede do Mundial logo na primeira rodada, contando com apenas dois votos. “É bem difícil para o estômago já que tudo isso contou para absolutamente nada”, afirmou Anson.

“Nós claramente somos responsáveis (para a imprensa). Nós temos que fazer as coisas de um modo correto, ético”, disse Anson. “As três candidaturas deixma a disputa de cabeça erguida”, declarou o dirigente, que se referia às campanhas da Austrália e Estados Unidos.

As críticas feitas pela imprensa inglesa foram consideradas, em parte, responsável por afugentar os possíveis eleitores da candidatura inglesa. As matérias do Daily Mail e da BBC expuseram membros do comitê executivo da entidade, acusados de suborno – entre eles o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira.

Segundo Andy Anson, minutos antes da votação o presidente da Fifa, Joseph Blatter, alertou os votantes para o “mal da imprensa”, o que o dirigente acredita que pode ter influenciado os vontantes a deixar de lado a candidatura inglesa.

A Inglaterra foi eliminada na primeira rodada, com apenas dois votos, menos até do que a candidatura considerada zebra, como Holanda/Bélgica. Anson afirmou sentir-se abandonado. “É difícil quando as pessoas prometem algo e não cumprem”, ele disse. “Eu vendi muitas coisas para muitas pessoas, e quando as pessoas apertam sua mão, normalmente há um acordo”, disse.

A Rússia acabou sendo a vencedora da campanha para sediar a Copa de 2018, enquanto o Qatar sediará a Copa de 2022.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo