Inglaterra

Inglaterra deve exigir passaporte de vacinação a jogadores e torcedores a partir de outubro

Seguindo protocolo que o governo anunciou, torcedores precisarão mostrar se foram vacinados para poderem assistir aos jogos de futebol no país

Os clubes da Premier League vão testar um novo protocolo para a entrada de torcedores nos estádios nesta pré-temporada. Os torcedores irão apresentar um certificado de vacina para COVID-19 para entrarem nos jogos, segundo informa o site The Athletic. A ideia é testar um sistema que será ainda mais rigoroso ao longo da temporada e passará a exigir o passaporte de vacina, que mostra que a pessoa tomou as duas doses da vacona contra COVID-19 para poder frequentar os estádios.

A medida passará a valer a partir do dia 1º de outubro, segundo o governo britânico. O ministro de vacinas do Reino Unido, Nadhim Zahawi, afirmou que o teste negativo não será mais suficiente para provar que uma pessoa está livre do vírus. A vacinação completa será exigida para quem quiser frequentar os estádios ingleses e vários outros eventos de grande porte. Por isso, os clubes já devem testar protocolos diferentes nos próximos jogos da pré-temporada, se preparando para cumprir a determinação do governo britânico já com a temporada em andamento.

Segundo The Athletic, a Premier League quer introduzir um sistema para exigir o certificado de vacina da COVID-19 para os torcedores, mas não estará pronto para o início da temporada. A liga irá trabalhar junto com os clubes para encontrar como encontrar o equilíbrio no protocolo para ter o retorno seguro em uma situação de pandemia que muda tudo muito rápido. Especialmente com a ameaça da variante Delta, que se tornou a dominante no Reino Unido.

Atualmente, o uso do passaporte de COVID-19 da NHS (National Health System, ou Sistema Público de Saúde, em português) não é obrigatório, mas é recomendado “em instalações ou eventos onde as pessoas provavelmente estarão próximas a um grande número de pessoas de outras família por um período prolongado de tempo”. Como as restrições foram retiradas, em sua maioria, a ideia é exigir que as pessoas só possam frequentar espaços onde haverá aglomeração, como estádios de futebol e shows, com esse passaporte.

O controle obrigatório de vacinação dupla entrará em vigor em algum momento ao longo da temporada e, assim, os torcedores só poderão estar de volta aos estádios se estiverem completamente imunizados contra a COVID-19. O prazo inicial é no dia 1º de outubro e a Premier League tem orientado os clubes a já usarem protocolos testes na pré-temporada para agilizar a adaptação e poder ter o máximo de público nos estádios o quanto antes for possível.

O único modo de provar a dupla vacinação contra a COVID-19 atualmente no Reino Unido é o aplicativo da NHS ou um e-mail de confirmação impresso. Por isso, o sistema para fazer essa checagem de modo automatizado não estará pronto para o começo da temporada. É um sistema complexo que precisará de tempo para funcionar bem, sem criar uma fila para a entrada de eventos como o futebol, com milhares de pessoas chegando simultaneamente.

Como cada estádio é diferente entre si, será preciso criar um plano logístico específico para cada clube poder fazer a checagem de modo ágil, sem criar filas enormes de torcedores, o que eventualmente pode atrasar a entrada e perder até parte do jogo por isso. Assim, cada clube deverá apresentar um plano para as autoridades locais e, se não for aprovado, o clube pode ter a capacidade do estádio reduzida como medida de redução de danos.

Jogadores também precisarão estar vacinados

Além dos torcedores, os clubes precisarão garantir que todos os seus jogadores e funcionários também estejam vacinados, porque o certificado de vacinação será obrigatório para eles. No caso dos jogadores, caso eles não provem que estão vacinados, não poderão ser escalados. Como há um intervalo entre as duas doses de 12 semanas, será preciso correr para que todos os jogadores e funcionários consigam receber as duas doses até outubro, quando a regra passa a ser válida.

Até por isso, os clubes precisarão de um planejamento bastante eficiente para vacinação interna e para garantir um processo rápido e simples de conferência dos torcedores, de modo a permitir que seu estádio esteja com a capacidade máxima.

Os clubes devem sofrer para conseguir atingir essas metas. Primeiro, porque há uma pequena, mas existente, resistência de jogadores que não querem receber a vacina. As razões são pessoais e os clubes respeitaram até aqui, embora haja um trabalho de conscientização nos clubes em relação a isso para que se vacinem. Tanto que alguns clubes têm divulgado imagens dos seus jogadores recebendo os imunizantes, como o Newcastle.

Será um imenso desafio aos clubes ingleses, não só da Premier League, mas também da Championship. Fazer os planos para checagem dos seus torcedores, ao mesmo tempo que garanta a vacinação de todos os seus funcionários e jogadores, tudo isso até outubro, é uma meta ousada do governo britânico, mas que parece pensar justamente em evitar episódios como vimos ainda em 2020, de eventos que acabaram espalhando o vírus ainda mais.

Garantir a vacinação é também garantir que os estádios possam voltar a estarem cheios. Será, mais do que nunca, importante que clubes, liga, sindicatos e todos os envolvidos atuem fortemente em campanhas de conscientização para que a imunização seja ampla e irrestrita. Veremos como isso vai funcionar, porque certamente será um caso para ser estudado em outros países em seguida.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo