Por Henrique Munhos

“O Arsenal é nossa religião. , a nossa igreja.” A frase foi dita a mim por Charlie Ochola, torcedor fanático dos Gunners. Não é exagero. A relação entre os torcedores do time vermelho de Londres com o estádio de Highbury é uma das mais próximas entre um clube e sua casa em todo o planeta.

Highbury foi o campo do Arsenal de 1913 a 2006. Lá, os torcedores puderam acompanhar grandes times, títulos e craques como Ian Wright e Thierry Henry. Em 2006, o estádio foi demolido e em seu lugar foram construídos apartamentos de alto padrão. A nova casa do Arsenal desde então é o moderníssimo Emirates, a poucos metros de distância do antigo lar. Fim da história? Nada disso. Parte da estrutura de Highbury permanece intacta, assim como as memórias dos fanáticos torcedores.

O começo
Apesar de ter sido fundado em 1886, o Arsenal chegou a Highbury apenas em 1913. Ainda com o nome de Woolwich Arsenal e tendo sua casa localizada no sudeste da capital inglesa, o clube se viu em dificuldades financeiras e a única solução para se manter em atividade era mudar de bairro. O norte de Londres, então, foi o local escolhido.

Por £ 20 mil, o clube alugou o terreno do colégio St John College of Divinty, em Highbury por 21 anos. O Arsenal Stadium (nome original do estádio) foi projetado por Archibald Leitch, homem também responsável por arquibancadas das casas de Everton, Liverpool, United e Chelsea. Em quatro meses, o gramado já estava pronto e parte da arquibancada construída. Com isso, em 6 de setembro de 1913, a equipe, já chamada de Arsenal, estreou na nova casa contra o Leicester Fosse e venceu por 2 a 1.

Apesar de terminar apenas na quinta colocação no Campeonato Inglês da Segunda Divisão na temporada 1914/15, o Arsenal foi promovido à elite do país em 1919, quando o campeonato voltou a ser disputado após o fim da Primeira Guerra Mundial. Desde então, Highbury, nome adotado pelos torcedores dos vermelhos de Londres, recebeu apenas jogos da Primeira Divisão.

Glórias e modernizações
Se existe em um nome que pode ser responsabilizado pela transformação do Arsenal em clube de ponta na Inglaterra, este é Hebert Chapman. O treinador assumiu o time em 1925, revolucionou a equipe e fez com que os Gunners começassem e conquistar troféus.

O treinador chegou a equipe em 1925, mas só conquistou seu primeiro título em 1930, a Copa da Inglaterra. Na temporada seguinte, foi campeão da liga. Tragicamente, o técnico morreu de pneumonia três anos depois. Porém, o time que ele moldou foi tricampeão inglês entre 1933 e 1935.

Dois dos pontos mais famosos de Highbury tiveram sua origem na década de 20 e 30. Em 1928, foi instalado um relógio no estádio. Em 1935, o equipamento foi transferido para o sul do campo, região da arquibancada que os torcedores começaram a chamar então de como Clock End Stand. Em 1936, foi inaugurada a arquibancada leste do estádio. A fachada do local é um dos pontos mais famosos de Highbury e permanece intacta mesmo após a transformação em apartamentos. No térreo da East Stand, um emblema do Arsenal e um busto de bronze de Hebert Chapman mostram que ali é um ambiente Gunner.

Durante as guerras mundiais, a rivalidade entre Arsenal e Tottenham foi deixada de lado e os inimigos do norte de Londres se ajudaram no que foi preciso. Na primeira Guerra Mundial, o Tottenham usou o estádio de Highbury como sua casa em algumas partidas. Na Segunda Guerra, o favor foi retribuído pelos Spurs, já que Highbury foi usado como Centro de Precaução a Ataques Aéreos. A casa dos Gunners, entretanto, foi bombardeada em 1941. A parte norte foi totalmente destruída, enquanto o terraço da arquibancada sul também foi danificado e teve que ser reparado antes do clube retomar suas atividades.

Reconstruído, o Arsenal Stadium foi casa dos jogos de futebol nas Olimpíadas de 1948. Holofotes foram instalados em 1951 e um aquecimento no subsolo foi novidade inaugurada em 1964.

A partir daí, Highbury recebeu poucas reformulações. Em 1989, a Clock End Stand foi remodelada e ganhou 48 camarotes. Em 1991, o estádio foi modificado devido a lei Taylor Report, que colocou um padrão a todos os estádios ingleses. Cadeiras em todas as partes do estádio e o fim dos alambrados foram as principais mudanças que os clubes da Terra da Rainha tiveram que acatar.

Mais uma camada de arquibancada com 12 mil assentos, shopping, museu, telões e um placar eletrônico foram as modernizações que vieram a seguir.

O
Mesmo assim, não foi o bastante. Highbury tinha capacidade para apenas 38.419 pessoas e o Arsenal precisava de um estádio maior para lucrar mais com seus fanáticos torcedores. Highbury, infelizmente, já não tinha mais para onde crescer. Por isso, o clube construiu o enorme e moderníssimo Emirates, estádio a poucos metros de Highbury com capacidade para 60 mil espectadores.

O adeus a antiga casa, que aconteceu em 7 de maio de 2006, não poderia ser mais emocionante. O Arsenal recebeu o e venceu por 4 a 2, com direito a um hat-trick de Thiery Henry, maior artilheiro do clube com 229 gols. Em um dos gols, o atacante beijou o gramado de Highbury, cena que é lembrada por todos que viram aquela partida.

Ao todo, Highbury viu 2.010 jogos, 4.038 gols dos Gunners e 26 títulos (13 campeonatos nacionais, 10 Copas da Inglaterra, duas Copas da Liga Inglesa e uma Recopa Europeia). O double da temporada 1970/71 e o título nacional invicto da temporada 2003/04 foram algumas das campanhas marcantes do clube no estádio. Curiosamente, desde que deixou o ‘Lar do Futebol’, outro apelido do Arsenal Stadium, a equipe não conquistou mais nenhum título de grande expressão.

Recordar é viver
Nova casa, nova vida. Bom, para quem comanda o Arsenal, isso não existe. O não deixa por um momento sequer de lembrar os antigos ídolos que fizeram história atuando no estádio de Highbury. Ao redor do novo estádio, estátuas de Thierry Henry, Tony Adams e Hebert Chapman, além de mini perfis de craques de todas as décadas, como George Armstrong (1961-1977) Kenny Samsom (1980-1988), Lee Dixon (1988-2002) e Dennis Bergkamp (1995-2006), jogadores que fazem parte do Dream Team do Arsenal de todos os tempos. Ao lado da estátua de Henry, uma megafoto com alguns dos elencos que passaram pelo estádio de 1913 a 2006, intitulada de Spirit of Highbury (o espírito de Highbury).

Quem faz o tour por dentro do estádio e adentra ao museu do clube confere mais lembranças dos tempos gloriosos. Bustos de Arsene Wenger e Hebert Chapman, fotos históricas, camisas, e flâmulas que marcaram o Arsenal em toda sua história.

Desde 2009, Highbury agora é Highbury Square, um conjunto de 724 apartamentos de luxo com preços que variam de R$ 716 mil a R$ 4,3 milhões. Porém, é impossível entrar lá e não sentir que é algo diferente. Além de estruturas intactas, como a East Stand, uma praça foi modelada no local onde era o gramado. Os apartamentos ficam ao redor da praça e parecem realmente arquibancadas.

“Nosso desejo sempre foi o de reter mais do que uma semelhança passageira com o estádio, e acredito que conseguimos isso. Highbury Square assegurou que a nossa antiga casa nunca será esquecida”, disse o Chairman Peter Hill-Wood ao site oficial do clube. Certamente, no coração dos torcedores do Arsenal, Highbury foi mais do que um simples estádio. Por essa razão, jamais será esquecido.