Inglaterra

Resenha: “Football’s War and Peace: The Tumultuous Season of 1946-47”

Neste livro, Thomas Law conta como o futebol tentou se recuperar depois de um período terrível da Segunda Guerra Mundial

A Segunda Guerra Mundial alterou o cotidiano das pessoas, assim como todas as guerras fazem. Porém, após seu final, seria de se esperar que o dia-a-dia da população voltasse ao normal, o que muitas vezes não ocorre. Isso pode acontecer por diversos motivos, desde psicológicos, como marcas deixas pela própria guerra, até estruturais, provocados pelo combate. Sendo assim, a recuperação do sorriso das pessoas é uma tarefa árdua e difícil, mas nada que o esporte não possa recuperar.

Pensando nisso, o inglês Thomas Taw, um trabalhador da área de serviços sociais, aproveitou todo seu amor pelo futebol para escrever seu primeiro livro, Football’s War and Peace: The Tumultuous Season of 1946-47 (Guerra e Paz do Futebol: A tumultuada temporada de 1946/47). Engana-se quem pensa que o livro irá concentrar-se em retratar as marcas deixadas pela guerra na Inglaterra. Ele, nada mais nada menos, trata de contar ao leitor como o futebol reergueu-se após o final daquele período difícil, retratando a realidade dos boleiros daquela época.

Esse é um livro dos mais bem pesquisados escritos nos últimos tempos, apresentando um tema até então pouco discutido no cenário esportivo inglês. Thomas teve que apelar para os velhos documentos da época, os quais ele próprio possuía. A partir daí, apenas deu-se ao trabalho de reproduzir o que ele chama de “a celebração da arte do escrever sobre futebol” nesse maravilhoso livro.

Um fato curioso pertinente ao processo de criação desse livro é que quando o escritor estava a escrever esta obra, ele não tinha uma editora para publicá-lo. Como ele próprio diz, tratava-se apenas de mais um hobby. Esse caráter descompromissado é notado no livro, que apresenta um certo tom humorístico bastante agradável para os mais resistentes ao hábito da leitura.

Entre muitos detalhes, o livro retrata a ansiedade do povo inglês em ver os velhos espetáculos de volta, pois somente a FA Cup havia retornado seus jogos, enquanto o campeonato nacional teria que esperar até a temporada seguinte. Mais excitante que a expectativa pela volta do campeonato é o que se viu após seu retorno: uma verdadeira invasão do público aos estádios.

Outro detalhe interessante do livro é o modo como Thomas Taw revela a pobreza de muitos dos jogadores que eram responsáveis por aquelas fascinantes plateias. Atletas como Ivor Powell, destaque do Queens Park Rangers e da seleção de País de Gales, que ganhava o salário de 10 libras por semana e morava num cômodo alugado num restaurante, enquanto sua esposa grávida morava com os pais.

Deixando de lado as situações financeiras, outro fator que prejudicava tanto o espetáculo como a vida do jogador era o tempo instável, que provocava situações realmente inimagináveis para os dias de hoje. Situações como a realização de uma partida sobre um gramado totalmente coberto por neve e pedras de gelo ou o atraso de viagens dos clubes devido à situação das pistas, que se encontravam congeladas.

Essas e mais outras situações fazem parte desse livro, que deve estar presente na casa de qualquer amante do futebol ou, ainda melhor, de todos os jogadores de futebol, que a partir dessa leitura passarão a pensar duas vezes antes de reclamar do número excessivo de jogos ou das condições da partida.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo