InglaterraPremier League

Em rodada de grandes defesas, nenhum goleiro foi mais fantástico do que Forster

Fraser Forster já despontava como um dos melhores goleiros do Reino Unido desde os tempos de Celtic. Na temporada passada, fez jus à fama durante os primeiros meses no Southampton, com atuações fabulosas na Premier League. Entretanto, uma séria lesão no joelho o tirou dos gramados em março. Meses de angústia até que voltasse a treinar em novembro e retomasse a posição de titular em janeiro. Não demorou a mostrar que os nove meses longe dos campos não atrapalharam o seu talento. Nesta terça, ele teve uma das melhores atuações de um goleiro na temporada europeia. Colecionou milagres e até lances de sorte, para segurar o 0 a 0 contra o Arsenal dentro do Estádio Emirates.

No primeiro turno, o Arsenal tomou um baile do Southampton no Estádio St. Mary’s. E parecia disposto a se vingar da goleada por 4 a 0, atacando com ímpeto desde os primeiros minutos. Mas encontrou um paredão pela frente. A primeira defesa de Forster aconteceu logo de cara, parando com o pé o chute à queima-roupa de Mesut Özil, após domínio fabuloso. Mas o melhor ainda estava por vir. Na pequena área, o alemão arrematou aquele que parecia um gol certo. Parou nos reflexos do camisa 44, desviando a bola como se fosse um goleiro de handebol. A maior de tantas defesas.

Se o primeiro tempo já foi inacreditável pela qualidade dos milagres, Forster se destacou na segunda etapa pela quantidade. Foram nove intervenções durante os 45 minutos finais. Na primeira, monstruosa, o arqueiro tocou a bola com a ponta dos dedos no chute colocado de Giroud. Depois, ia deixando claro que estava mesmo com o corpo fechado. Combinava explosão e elasticidade, além de uma dose de sorte, salvando até com a cara. Viu também os adversários errarem o alvo na pequena área, enquanto, já batido, contou com a colaboração de Virgil van Dijk rasgando em cima da linha.

Do outro lado, Petr Cech também apareceu na primeira etapa, embora bem menos exigido. Atacando com velocidade, o Southampton até poderia sair do Emirates com a vitória, mas não conseguiu criar oportunidades mais claras. Os créditos pelo empate, de qualquer maneira, vão mesmo para Forster. Em quatro partidas desde que retornou ao time, o goleiro ainda não sofreu gols. Foi peça fundamental para que o time conquistasse 10 pontos desde então, subindo para o oitavo lugar.

Além disso, Forster ajudou os demais times da parte superior da tabela. Estacionado com 45 pontos, o Arsenal viu Leicester e Manchester City abrirem vantagem, enquanto acabou ultrapassado pelo Tottenham, caindo para a quarta posição por conta do saldo de gols inferior ao dos rivais. Os Gunners já acumulam quatro partidas consecutivas sem vencer na Premier League. Mas, desta vez, não têm tanta culpa pelo tropeço. Os méritos estão do outro lado, na meta adversária.

Abaixo, outras quatro defesas que dão coro à grande noite dos goleiros na Premier League. Na ordem, Joe Hart, Mignolet, Fabianski e Kasper Schmeichel:

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo