Inglaterra

Paz na mente e alguns reforços: os presentes que o Arsenal pede ao Papai Noel para 2024

Para o Arsenal ser feliz em 2024, separamos alguns desejos de Natal que podem fazer muito bem aos Gunners no ano que vem

O Arsenal novamente está na briga pelo título da Premier League e, de quebra, ainda fez ótima campanha na fase de grupos da Champions League, se classificando com relativa facilidade para a fase de mata-mata — enfrentará o Porto nas oitavas de final. Olhando para o 2023 do Arsenal, a Trivela separou três fatores que serão fundamentais para os Gunners se eles quiserem atingir seus objetivos na metade final da temporada.

E quais seriam esses objetivos? Sendo extremamente otimista, vencer a Premier League novamente após exatos 20 anos e também vencer a Champions League pela primeira vez em sua história. Em uma visão mais realista, voltar a ser campeão inglês e fazer uma campanha digna na Europa já seria bastante gratificante para o Arsenal, então vamos ao que seria necessário para o time comandado por Mikel Arteta.

Essencial ao Arsenal é ter profundidade de elenco

Todo torcedor do Arsenal deve se desesperar quando lembra da segunda metade da temporada 2022-23. Foi nela que o time desperdiçou uma liderança que chegou a ser de 10 pontos na Premier League e acabou sendo vice para o Manchester City, que chegou ao terceiro título consecutivo do campeonato na ocasião. Àquele Arsenal, faltou profundidade de elenco.

E esse é um problema que Arteta e Edu Gaspar, dirigente do clube londrino, podem tentar resolver neste janeiro — apesar de não ser fácil. O Arsenal contratou bem na janela de transferências do verão europeu, mas ainda assim sofre com muitas lesões e não tem peças de substituição à altura. Agora em janeiro, pode encorpar o time que disputará a reta final de duas competições duríssimas, a Premier League e a Champions League, e ainda terá pela frente os desafios da Copa da Inglaterra, competição que aperta o calendário.

Definir quem é seu goleiro titular: a missão para o Arsenal em 2024

David Raya é o goleiro que mais jogou pelo Arsenal na temporada 2023-24, mas isso não quer dizer que ele é um titular incontestável. A cada falha ou jogo mediano, o nome de Aaron Ramsdale, que é um reserva com condições de ser titular, é falado pela torcida dos Gunners. A divisão de tempo de jogo entre os dois, no momento, não segue nenhuma lógica, como já aconteceu em outros casos de times grandes, que colocavam um goleiro nas copas e outro na liga.

Claro que ter dois goleiros de alto nível é extremamente valioso para qualquer time e Arteta sabe disso. Mas a escolha definitiva por Raya ou até mesmo por Ramsdale pode ser essencial para que os Gunners tenham mais tranquilidade em seu sistema defensivo, que será extreamente cobrado nesta reta final de temporada — e foi um dos problemas mais latentes na segunda metade de 2022-23.

Paz de espírito e esquecer a temporada passada

As comparações entre a atual e a última temporada do Arsenal serão inevitáveis. Por mais que não tenha aberto uma distância tão cômoda como conseguiu na última edição da Premier League, os Gunners terão de saber manter o psicológico em dia se quiserem ir longe nos dois torneios mais importantes que disputam atualmente. Para isso, comparações tem de ser deixadas de lado.

O Arsenal reforçou (bem) seu time, pode precisar de mais corpo, mas tem que lembrar que não entrou como favorito absoluto em nenhuma das duas competições. Ou seja, não tem obrigação. Que pesem a fila de 20 anos sem um campeonato inglês e o fato de nunca ter ganho a Champions League, os Gunners precisam ter em mente que estar na disputa já é muito melhor do que vinha sendo nos últimos anos e que, principalmente, quem está sempre na disputa, hora ou outra acaba ganhando.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Formado em Jornalismo pela Unesp, é apaixonado por esportes, acima de tudo futebol. Ama escrever sobre o que acontece dentro e fora de campo. Após passar por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia, se juntou à equipe da Trivela com muita vontade de continuar crescendo.
Botão Voltar ao topo