Inglaterra

Em meio à possível demissão de Ten Hag, um (im)provável nome cava seu lugar no Manchester United

Em entrevista recente, Wayne Rooney afirmou que gostaria de treinador Manchester United ou Everton nos próximos anos

A situação de Erik ten Hag à frente do Manchester United não está tão boa. Mesmo que a equipe esteja jogando melhor e conseguindo importantes vitórias no últimos meses, a sexta colocação na Premier League e a última colocação na fase de grupos da Liga dos Campeões ainda pesam contra o holandês, que também gastou muito dinheiro em atletas que não brilharam ainda na equipe, como André Onana, Sofyan Amrabat, Antony e Mason Mount.

Já tem gente de olho no cargo que atualmente é ocupado por ele, e essa pessoa é nada mais nada menos do que um dos grandes ídolos do United nas últimas décadas. Ainda despontando na sua carreira como treinador, Wayne Rooney afirmou que no futuro, gostaria de dirigir o Manchester United e também o Everton, seu clube de infância e do qual foi revelado.

– Treinar o Manchester United ou o Everton é o meu objetivo, esses são grandes trabalhos onde você quer chegar. Mas é um processo que eu tenho que dar um passo de cada vez e agora preciso voltar ao trabalho. Eu quero voltar a trabalhar como técnico e nos próximos 10 anos, eu espero estar numa posição de assumir um desses dois grandes trabalhos -, disse o inglês durante o programa Match of the Day, transmitido pela BBC.

Histórico não ajuda Rooney até agora

Treinador desde 2020, quando assumiu o comando do Derby County logo após pendurar as chuteiras também pelos Rams, Rooney não teve ainda um grande trabalho para justificar um possível passo para um clube de elite. Após assumir o comando do Derby e evitar o rebaixamento do clube em um primeiro momento, Rooney deixou a equipe no meio de 2022, após a queda do time para a League One.

Um mês depois, ele assumiu o comando do DC United, equipe em que atuou nos Estados Unidos após deixar o Everton. Ele foi demitido em outubro do ano passado, com apenas 14 vitórias em 53 jogos. Mas o mais decepcionante até agora foi o seu terceiro e último trabalho como treinador. Rooney dirigiu o Birmingham City por quase 3 meses, e foi dispensado no início de janeiro. Sob o seu comando, a equipe ganhou apenas 2 de 15 jogos e perdeu 9. Mesmo assim, o ex-atacante e capitão da seleção inglesa segue firme com o seu objetivo de se tornar um grande treinador.

– Eu definitivamente quero voltar ao trabalho de treinador. Foi um retrocesso o que aconteceu no Birmingham, mas eu sou batalhador e eu gostaria de voltar o mais rápido possível -, afirmou Rooney, que mesmo sendo técnico desde 2020, tem apenas 38 anos.

– Como um técnico, isso (ser demitido) é também do trabalho e você precisa recuar. É sobre como você se prepara novamente também. Eu tive um algum bom tempo para refletir e agora tenho certeza que farei as coisas darem certo da próxima vez.

Histórico como ídolo pode ajudar?

Como jogador, Rooney foi ídolo do Manchester United. Ao todo, ele ganhou 17 títulos durante as 13 temporadas que atuou com a camisa dos Red Devils. Dentre os troféus, foram 5 Premier League e uma Champions League em 2008. Ele também foi eleito o melhor jogador do campeonato inglês em 2009/2010, na temporada seguinte à saída de Cristiano Ronaldo para o Real Madrid. Além disso, ele também o maior artilheiro da história do clube de Manchester, com 253 gols anotados em 559 jogos.

Mesmo com o desempenho ainda abaixo do esperado como treinador, Rooney pode sim ser uma sombra para Ten Hag e outros possíveis técnicos do Manchester United nos próximos anos. Além de identificação, ele possui o carinho da torcida e poderia ter tempo para levantar o moral da equipe em busca de títulos novamente. Resiliência Rooney está mostrando ter. Só resta saber se isso será suficiente para fazer com que o brilhante atacante também se torne um técnico excelente.

Foto de Vanderson Pimentel

Vanderson Pimentel

Jornalista formado em 2013, e apaixonado por futebol desde a infância. Em redações, também passou por Estadão e UOL.
Botão Voltar ao topo