Inglaterra

De grande promessa do Leeds, Alan Smith vira técnico interino na quarta divisão inglesa

Lembra de Alan Smith, atacante que surgiu como uma promessa do futebol inglês no Leeds United? Pois ele vai virar técnico-jogador do Notts County, clube que defende atualmente e que está na zona do rebaixamento da League Two, a quarta divisão da Inglaterra. Aos 36 anos, longe do brilho que já teve, ele vai exercer o cargo de treinador principal pela primeira vez.

LEIA TAMBÉM: Jogador tem perna quebrada, soca o chão em frustração e leva amarelo

O Notts County demitiu o treinador John Sheridan nesta segunda-feira, depois de uma série de nove derrotas consecutivas que colocaram o time a um ponto de distância da zona do rebaixamento da League Two. Desde que chegou ao Notts County, em maio de 2014, Alan Smith exerce o trabalho de jogador-treinador, mas como um dos auxiliares. Algo parecido com o que fez Ryan Giggs no seu último ano de carreira, já como um auxiliar de Van Gaal e ainda disponível para jogar.

“O importante para todo mundo – jogadores, comissão técnica e torcedores – é permanecer juntos”, afirmou Alan Smith ao site do clube, ao ser anunciado como técnico. “Não há como escapar disso, tem sido uma temporada muito, muito decepcionante até agora. Mas há muito pontos a serem disputados e nós estamos determinantes e confiantes em colocar as coisas no lugar”.

O assistente técnico Mark Crossley continua no clube e trabalhará junto com Alan Smith enquanto outro técnico não chega. Em 24 jogos na temporada, John Sheridan só conseguiu seis vitórias. Uma campanha que leva o time a apenas 22 pontos, em 22º lugar (são 24 times na disputa). A longa temporada tem 46 jogos, além dos playoffs de disputa do quarto ao sétimo lugar por um dos lugares na terceira divisão – algo distante da realidade do time, que busca só não ser rebaixado.

Alan Smith nos tempos de Leeds
Alan Smith nos tempos de Leeds

Alan Smith era considerado um jogador promissor quando despontou no Leeds United em 1998. Fez parte do melhor momento da história do clube, quando foram semifinalistas da Champions League na temporada 1999/2000. Ele formava o ataque do clube ao lado de Mark Viduka e ainda tinha as companhias estreladas de Harry Kewell. Em 2004, foi contratado pelo Manchester United, quando o Leeds começou a cair pelas tabelas. Mas a sua carreira também não foi bem.

No Manchester United, sempre foi reserva, atrapalhado por lesões. De atacante, passou a atuar como meio-campista central por pedido de Alex Ferguson. Ele estava preparando o jogador para substituir o lendário Roy Keane. Mas seus primeiros movimentos nesta posição, durante a lesão de Keane, foram desastrosos e ele recebeu muitas críticas. Inclusive do próprio irlandês. Depois da recuperação de Keane, na temporada seguinte, Ferguson anunciou que Smith seria colocado novamente como atacante, sua posição original. Mas uma lesão grave, quebrando a perna e o tornozelo, o deixaria afastado por longo tempo. Ele chegou a volta na campanha do título da temporada 2006/07, mas não conseguiu se firmar.

Tornou-se um jogador comum, que faz muitas faltas e pesado, ao contrário do que era no começo da carreira, quando tinha muita velocidade. Em 2007, deixou o Manchester United para atuar pelo Newcastle, onde, em princípio, atuou como atacante, mas não conseguiu manter a posição. Então, entrou novamente como meio-campista e se tornou, pouco a pouco, um jogador mais defensivo do que ofensivo. Até perder as características que o tornavam um jovem atacante promissor para ser um meio-campista pesado.

Alan Smith já no Manchester United
Alan Smith já no Manchester United

Chegou a ser emprestado na segunda metade da temporada 2011/12 para o Milton Keynes Dons, referido como MK Dons em alguns lugares. Com o fim do seu contrato, selou a transferência em definitivo para o clube. Foram duas temporadas na equipe, até ser dispensado novamente ao final da temporada 2013/14. Chegou ao Notts County logo depois disso, em maio de 2014, para a temporada 2014/15. Até agora, foram 70 jogos pelo clube e nenhum gol marcado. É reserva na maior parte do tempo.

Apesar da nova função, ele já deixou claro que é uma posição apenas temporária. “Nós temos grandes jogos chegando, começando contra o Morecambe no sábado e, até que um novo téncico chegue, eu vou trabalhar perto de Mark [Cassley, auxiliar técnico] e o resto da comissão técnica e esperamos levar o time a mudar a nossa sorte”. Que ele tenha mais sorte na carreira como treinador do que teve como jogador.

Um pouco do que Alan Smith fez na sua carreira:

Gols pelo Manchester United:

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo