Inglaterra

Daniel Kretinsky, dono do Sparta Praga, tem cláusula para assumir o controle do West Ham

Investidor tcheco tornou-se segundo maior acionista do clube e concordou com cláusula que o permitirá assumir o controle do clube se assim desejar

O empresário tcheco Daniel Kretinsky concordou com uma opção de assumir o controle do West Ham como parte do seu processo de compra de 27% das ações do clube, segundo informa o Guardian. Ele é dono também do Sparta Praga, um dos maiores clubes do seu país de origem. Com isso, o investidor terá poder para comprar o clube se assim quiser e o principal acionista dos Hammers, David Sullivan, pode também vender as ações a ele se assim quiser pelo acordo estabelecido. Já era especulado que isso pudesse acontecer quando o clube anunciou que ele se tornou o segundo maior acionista, no começo do mês.

Kretinsky poderá comprar as ações dos principais acionistas do clube, David Sullivan e David Gold, por um preço pré-estabelecido. O acordo foi feito com Sullivan, a 1890 holdings a.s, a empresa usada pelo tcheco para comprar suas ações, e a EP Investment Sarl, empresa de investimentos de Kretinsky.

Com o acordo estabelecido, Sullivan, principal acionista do West Ham, terá a opção de vender as suas ações dentro do preço estipulado. Kretinsky também terá a opção de comprar as ações se quiser. O preço estabelecido não pode mudar se uma das partes resolver exercer a sua cláusula de compra ou venda. Não mudará também se o West Ham conseguir um bom resultado esportivo, como a classificação à Champions League.

A opção só existe por um certo período e o West Ham não confirmou quando ela expira. Se ela acontecer antes de março de 2023, isso geraria um custo para Sullivan e Gold pelos termos do acordo assinado em 2016, quando o West Ham mudou para o London Stadium. Os dois teriam que pagar uma multa para o poder público se o clube for vendido por mais de £300 milhões. Com o investimento de Kretinsky, que foi entre £180 milhões e £ 200 milhões para a compra das ações, o valor estimado do West Ham está em £ 700 milhões.

Pessoas do clube inicialmente minimizaram a chance de Kretinsky comprar as ações de Sullivan e Gold e se tornar o dono do clube. Segundo as pessoas de lá, a entrada do tcheco não seria sinal de uma saída dos outros acionistas. Os dois são donos dos Hammers desde janeiro de 2010.

O clube conseguiu se estabelecer na parte de cima da tabela, terminando frequentemente entre os 10 primeiros. Desde a chegada de David Moyes, em dezembro de 2019, o clube tem crescido e conquistou a classificação às oitavas de final da Liga Europa na última quinta-feira. O time está também nas quartas de final da Copa da Liga.

Kretinsky é conhecido por ser um empresário duro nas negociações e é chamado de “Esfinge Tcheca” pelo seu modo de fazer negócios. Ele afirmou que não pretende forçar uma mudança. O empresário afirmou ainda que a ideia é ajudar o West Ham a continuar a “evoluir dentro e fora de campo”.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo