Inglaterra

Curado da leucemia, Petrov, 36 anos, quer voltar a jogar e ajudar o Aston Villa na segundona

Nem tudo são más notícias para o Aston Villa. Depois de ver concretizado seu primeiro rebaixamento à segunda divisão desde 1987, um líder recente pode retornar ao clube. O búlgaro Stiliyan Petrov, três anos depois de se aposentar para se concentrar no tratamento de uma leucemia, está trabalhando para tentar voltar ao futebol de alto nível. E o clube de Birmingham, pelo qual jogou 218 vezes, é sua prioridade.

LEIA MAIS: A tradição encontrou a realidade, e o Aston Villa está rebaixado à segunda divisão

Petrov foi diagnosticado com leucemia em 2012 e passou por quatro meses de quimioterapia. Um ano depois, despediu-se da torcida em um amistoso entre atletas do Celtic, que defendeu por sete temporadas, do Aston Villa, e alguns amigos. Jogou em ligas amadoras da Inglaterra, trabalhou na comissão técnica de Tim Sherwood e atualmente está treinando com o sub-21 do Aston Villa para recuperar a forma.

“Eu decidi começar a tentar jogar futebol em alto nível novamente”, disse ao Birmingham Mail. “Estou muito animado. As pessoas estão me perguntando várias coisas e terão muitas dúvidas. Eu sempre acredito que se você trabalhar duro, entrará em forma. Estou quase na mesma forma que estava quando me aposentei, então vamos ver o que acontece. O Aston Villa é minha prioridade”.

Petrov tem outras propostas, mas dá prioridade ao Aston Villa, que ainda não confirmou que tem interesse no meia búlgaro para a equipe principal, mas permitiu que ele treinasse com o sub-21 e acompanha de perto o seu progresso. “Eu disse que estou pronto para começar a pré-temporada com eles”, afirmou. O problema maior talvez tenha sido convencer o seu filho de nove anos que estaá tomando a decisão correta.

“Eu estava lendo um livro e dise para ele o que eu iria anunciar. Disse que queria jogar pelo Aston Villa novamente. Ele virou e me disse: ‘você tem visto o Aston Villa jogar ultimamente? Tem mesmo visto?’. Mas agora eu já resolvi o problema com ele. Tentei explicar que o time estava passando por problemas, mas que o mais importante é que ele iria se recuperar. Disse que no ano que vem o Aston Villa estaria muito bem e de volta à Premier League. Ele respondeu: ‘Eu ficaria feliz com isso, mas você promete?’. Eu tive que prometer, e essa é uma grande promessa. Não gosto de quebrar minhas promessas”.

 

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo