Copa da Inglaterra

Os cantos de tragédia, infelizmente, seguem manchando o futebol inglês

Dois torcedores do Manchester United foram presos por cantos ofensivos entoados durante o clássico contra o Liverpool

No último domingo (17), Manchester United e Liverpool protagonizaram um dos melhores jogos da atual temporada do futebol inglês. Em duelo válido pelas quartas de final da Copa da Inglaterra, os Red Devils venceram o arquirrival por 4 a 3 – com direito a virada insana no 2º tempo da prorrogação – e garantiram vaga na próxima fase. Apesar do show dentro de campo, o clássico acabou manchado por episódios que em nada contribuem para a grandeza do espetáculo.

A Polícia da Grande Manchester prendeu dois torcedores do Manchester United após ambos terem sido flagrados provocando torcedores do Liverpool, em Old Trafford, com a tragédia de Hillsborough. Um terceiro indivíduo está sendo procurado por também participar do lamentável episódio.

— A GMP (Greater Manchester Police) pode confirmar que um jovem de 21 anos e um homem de 59 anos foram presos. Incidentes de cantos trágicos não serão tolerados e serão tratados com firmeza. Também temos conhecimento de imagens que circulam nas redes sociais de um torcedor do Manchester United cantando músicas sobre tragédias. O GMP está trabalhando com ambos os clubes para identificar o indivíduo relacionado a este incidente — disse o chefe do policiamento, Jamie Collins, em entrevista à imprensa inglesa.

— Realizamos uma reunião com grupo de torcedores dos dois times antes da partida e ambos concordaram que cantos de tragédia eram totalmente inaceitáveis. A GMP irá reprimir isso e prender aqueles que se envolverem em tal comportamento, independentemente da equipe que apoiam. Espero que essas prisões funcionem como um impedimento para qualquer pessoa que compareça a jogos futuros — concluiu.

Cantos de tragédia são corriqueiros no futebol inglês

Na Inglaterra, torcedores são proibidos de entoarem cantos que fazem referência a tragédias relacionadas ao futebol. A “Tragédia de Hillsborough”, por exemplo, é considerada o maior desastre do futebol inglês e um dos maiores do mundo. O incidente ocorreu em 15 de abril de 1989, no Estádio Hillsborough, em Sheffield, durante o jogo entre Liverpool e Nottingham Forest, válido pelas semifinais da Copa da Inglaterra.

Na ocasião, 95 torcedores do Liverpool morreram pisoteados e outros 766 ficaram feridos. A 96ª vítima veio a óbito quase um ano depois da tragédia. Em 27 de julho de 2021, mais de 32 anos depois do desastre, faleceu a 97ª vítima: Andrew Devine, que sofreu danos cerebrais e permaneceu em estado vegetativo durante todo esse tempo.

As investigações apontaram que a tragédia foi causada pela superlotação do estádio, bem como o seu péssimo estado de conservação. O local não cumpria as normas mínimas de segurança e não poderia comportar a quantidade de torcedores que recebeu naquele dia.

Outras tragédias terminantemente proibidas pelas autoridades inglesas (que torcedores debochem nos estádios) são: o acidente aéreo de Munique envolvendo o elenco do Manchester United (1958), o assassinato de dois torcedores do Leeds United em Istambul (2000), o incêndio no estádio do Bradford (1985).

Qual a punição para estes cantos?

Em 2020, Zakir Hussain, torcedor do Manchester United, pegou 14 semanas de cadeia por incitação ao ódio e referência à Tragédia de Hillsborough.

Por conta do aumento de ocorrências envolvendo tal tema, a Premier League criou em 2023 uma força-tarefa, com intuito de solucionar o problema e punir severamente os envolvidos. Grupos de torcedores, Polícia e Ministério Público integram a associação. Indivíduos que forem considerados culpados poderão ser banidos dos estádios e processados criminalmente.

Após tomar ciência dos fatos, a Federação Inglesa de Futebol (FA) condenou “quaisquer cantos ofensivos, abusivos e discriminatórios nos estádios de futebol”.

— Estamos determinados a acabar com esse comportamento — pontuou a FA em nota.

Outras prisões (por outros motivos) foram efetuadas em Manchester United x Liverpool

Além dos casos citados acima, a Polícia da Grande Manchester efetuou outras prisões durante e depois o clássico em Old Trafford. Três torcedores do Liverpool foram detidos por posse de drogas “Classe A”, enquanto outro por suspeita de posse de pirotecnia.

Dois fãs do Manchester United também acabaram presos, um por ofensa à ordem pública com agravamento racial e outro por invasão de campo. Por fim, George Fenning, homem de 39 anos, foi acusado de posse de drogas “Classe B”, posse de material pirotécnico e lançamento de mísseis. Ele pagou fiança e foi liberado pelas autoridades.

Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo