Copa da Inglaterra

City contou com partidaça de Fernandinho para eliminar o Everton da Copa da Inglaterra

O Manchester City é o time a ser batido na Inglaterra e o Everton se esforçou para conseguir exatamente isso. Apesar dos esforços, o time comandado por Pep Guardiola contou com uma partida enorme de Fernandinho, senhor do meio-campo e melhor jogador da partida. Os gols de Ilkay Gündogan e Kevin De Bruyne selaram a classificação de um time que parece capaz de ganhar todos os títulos da temporada, embora seja um feito dificílimo. Agora, os Citizens avançam à semifinal da competição. O Everton segue no seu jejum de títulos, que dura desde 1995.

Gabriel Jesus voltou ao time titular desta vez.  Ao seu lado no ataque, Phil Foden e Raheem Sterling. No meio-campo, Kevin De Bruyne começou no banco – mas entraria para ser fundamental. O Everton teve do seu lado o terceiro goleiro em campo: João Virgínia, titular pelas lesões no clube.

A estratégia de Carlo Ancelotti era clara: bloquear o meio, com muitos jogadores por ali, tanto no meio-campo quanto no ataque. O esquema de 5-3-2 facilitava isso e dificultava a troca de passe constante do City, que circulava a bola sem achar espaço. Com um time fisicamente forte, o Everton brigava, tentava, levava perigo nas bolas paradas e dava poucas chances ao City de finalizar com tranquilidade.

O plano era de contra-ataques para agredir o City quando o Everton recuperasse a posse da bola, que ficava majoritariamente com o clube de Manchester. Richarlison até levou algum perigo no segundo tempo, mas não conseguiu marcar.

Para atrapalhar o jogo do City, os atacantes Richarlison e Dominic Calvert-Lewin se revezavam para marcar Fernandinho, o principal nome da saída de bola do City. O time de Guardiola conseguiu variar o jogo e o brasileiro ainda foi bem dos dois lados, tanto na defesa, com um posicionamento importante para evitar mais ataques perigosos, como para iniciar as jogadas.

O jogo foi duro e caminhava para o fim sem gols. O gol só veio na reta final. Foi Ilkay Gündogan, já aos 38 minutos, que conseguiu o gol. Aymeric Laporte carregou a bola, acionou De Bruyne, que tinha entrado pouco antes, e ele chutou bem. O goleiro João Virgínia defendeu, a bola ainda tocou na trave e sobrou para Gündogan aproveitar e marcar: 1 a 0.

O segundo gol veio já nos acréscimos. Com O Everton procurando o ataque, o City recuperou a bola no campo de defesa, Rodri acionou De Bruyne e o belga teve categoria, tranquilidade e precisão para finalizar bem e marcar 2 a 0, selando a vitória e a classificação.

Com a vitória, o sonho dos quatro títulos na temporada (Premier League, Champions League e as duas Copas nacionais) continua. O City caminha para uma temporada histórica – mais uma, já que se tornou frequente.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo