Inglaterra

Novo estádio já traz problemas para o Tottenham

É difícil construir estádio sem alguma polêmica, seja a isenção fiscal para a Arena Corinthians ou o preço do terreno do San Paolo para o Napoli. O Tottenham tem logo dois problemas complicados para resolver: explicar por que transferiu a propriedade de terrenos próximos à futura casa para Bahamas e lidar com a insatisfação de vendedores locais.

O presidente do clube Daniel Levy, exímio negociador, convenceu o conselho da região de Haringey a desistir de algumas exigências, como um plano de € 19 milhões para melhorar o transporte e a promessa de construir prédios habitacionais. Lembrando as manifestações populares que a região abrigou em 2011, ainda conseguiu arrancar do poder público um plano para revitalizar a área, o que ajuda na captação de investidores e valoriza os terrenos que os Spurs têm por ali.

E aí começa a polêmica, porque, em 27 de março, dias antes do lançamento do plano de revitalização – que ainda é apenas uma proposta e envolve a construção de uma larga calçada para facilitar o acesso ao estádio, lojas, cafés e 1.650 casas e apartamentos -, o Tottenham transferiu os seus terrenos, segundo reportagem do jornal The Guardian, para a empresa TH Property Ltd, registrada em Bahamas. O país é o paraíso fiscal do bilionário Joe Lewis, sócio majoritário do clube por meio da empresa Enic International, que paga o salário, por exemplo, de Levy. A suspeita é que essa manobra tenha sido feita para evitar impostos sobre o lucro de uma futura venda.

“Essa transferência foi feita para aliviar as dívidas das nossas companhias britânicas, que compraram as propriedades, para que o clube não carregue essas dívidas. Isso vai ajudar com o financiamento que precisamos para o estádio. Impostos britânicos vão ser pagos em todas as transações britânicas”, prometeu um porta-voz do Tottenham, que precisa de € 467 milhões em naming rights e empréstimos para que o estádio seja construído.

A ideia do conselho de Heringey é usar o estádio para revitalizar a região, como a Vila Olímpica fez com Stratford, no leste de Londres. Isso, porém, não é unanimidade entre os moradores, que o acusam de terem facilitado demais as coisas para o Tottenham. Moradores antigos têm medo de perder os seus empregos. Os Spurs patrocinam uma escola técnica na região para jovens de 14 a 18 anos e um dos seus terrenos vai receber um supermercado, que vai gerar 250 novos empregos. Será o suficiente para acalmar os ânimos dos residentes?

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo