Inglaterra

Carragher: “Digo a Kane o mesmo que disse a Gerrard: não destrua sua reputação por causa de uma transferência”

Carragher não acha que Kane deve ficar no Tottenham, mas que precisa proteger a sua reputação com os torcedores do clube que o criou

Crítico da decisão de Harry Kane de faltar a treinos do Tottenham para forçar uma transferência ao Manchester City, Jamie Carragher passou por uma situação como essa nos seus tempos de jogador e, em coluna ao Telegraph, entregou ao capitão da seleção inglesa o mesmo conselho que deu a Steven Gerrard: faça o que fizer, não destrua a sua reputação.

Gerrard considerou seriamente trocar o Liverpool pelo Chelsea, em 2005, atraído pelo esquadrão que Roman Abramovich montava para José Mourinho e frustrado com a falta de ambição do seu clube que, apesar de ter acabado de vencer a Champions League, havia vendido Michael Owen ao Real Madrid e pouco se reforçara para solidificar suas credenciais para a temporada seguinte.

Havia também uma relação fria com o então treinador Rafa Benítez e, no fim, Gerrard seguiu mais o conselho do seu pai do que o de Carragher, embora os dois seguissem mais ou menos na mesma linha. “O Liverpool está no seu coração, esqueça o que está na sua cabeça. Se o Chelsea está na sua cabeça, é só um barulho. Lembre-se de onde veio, quem o criou. O Liverpool é o seu time”, disse Paul Gerrard, segundo o filho.

“Olhar a situação de Harry Kane ao longo dos últimos dias me lembrou de quando Steven Gerrard estava pensando em trocar o Liverpool pelo Chelsea”, escreveu Carragher. “Meu conselho a Stevie foi: ‘você uma hora voltará a cidade, seus filhos serão torcedores do Liverpool, você é amado, não destrua isso por uma transferência’. Ele pensou bastante sobre o dano à sua reputação e foi isso que o fez recuar. Ele sabia que o Chelsea era melhor que o Liverpool e que ganharia mais títulos. Todos nós sabíamos, assim como sabemos que o Manchester City venceu e continuará vencendo mais que o Tottenham. Mas, às vezes, algumas coisas são especiais e você não destrói essas coisas especiais”.

Carragher faz o importante lembrete de que Gerrard nunca conquistou a liga inglesa, mas acredita (com razão) que encerrou a sua carreira como uma figura maior do que seria se tivesse abandonado o Liverpool para ganhar dois ou três títulos pelo Chelsea.

“O que ele fez foi maior do que vencer a liga. Um jogador local, um homem de um clube só, uma lenda do Liverpool, talvez o maior jogador da sua história, tudo isso importa. São especiais. Ele é visto ao redor do mundo de maneira muito melhor agora por causa disso do que se tivesse ido para o Chelsea ganhar alguns títulos. Eu diria que, por ter ficado, Stevie quase com certeza em algum momento da sua carreira acabará treinando o Liverpool. Se ele tivesse do para o Chelsea, ele estaria de fato em uma posição de potencialmente suceder Jürgen Klopp?”, questionou.

Carragher faz questão de deixar claro que entende o desejo de Kane de trocar de clube, e que ele não está necessariamente errado em fazê-lo, ou que a transferência em si seria suficiente para destruir a sua reputação junto aos torcedores do Tottenham, mas tem problemas com a maneira como o processo está sendo conduzido.

“O Tottenham não é a mesma coisa que o Liverpool em termos de títulos e de história, e não estou dizendo que Harry Kane deveria ficar nos Spurs. Eu sei que o que importa é o agora e conquistar títulos. Entendo que ele queira ganhar a Premier League, a Champions League. Não tenho problemas com ele ir para o City. Mas a maneira como ele está tentando forçar a transferência, sem aparecer nos treinos, é preocupante. Digo a Harry o mesmo que disse a Stevie: não destrua sua reputação por causa disso. Sempre pense em seu nome e sua posição no esporte. Para mim, isso é tão importante quanto qualquer título que Harry possa conquistar”, afirmou Carragher.

Ele próprio um homem de um clube só, com 737 partidas pelo Liverpool, Carragher entende a pressão de ser um jogador local, mas também o que isso significa, e apenas enfatiza que, se for sair, Kane deveria fazê-lo pela porta da frente.

“Ser um jogador local como Kane significa que você é julgado com padrões diferentes pelos torcedores do seu clube. Eu ficava aterrorizado que os torcedores do Liverpool pensassem que eu queria uma transferência – não que eu um dia quis – ou que eu era o problema ou que eu estava dizendo coisas na imprensa. Minhas discussões de contrato duravam apenas algumas horas por causa dessa preocupação que eu tinha de como os torcedores interpretariam a situação. Acho que você se porta de maneira diferente quando é um jogador local. Você é cobrado com um padrão maior”.

“Kane desejará voltar ao Tottenham nos anos seguintes. Se ele for para o City, não importa o que aconteça ali, ele sempre será visto como o Harry Kane do Tottenham. Ele quer ser amado lá. Ele viverá em Londres quando se aposentar, seus filhos serão torcedores do Tottenham, ele pode até acabar treinando o clube. Há muitos poucos Harry Kanes sobrando. Se você é esse jogador e quer ir embora, tem que ir pela porta da frente, não pela porta de trás”, afirmou.

Harry Kane não compareceu aos compromissos que tinha com o Tottenham na segunda e na terça-feira desta semana, mas, segundo veículos ingleses como Guardian e The Athletic, ele pretende retornar ao clube ainda esta semana.

Segundo Carragher, a estratégia adotada por Kane pode ser um tiro no pé porque ele apenas reforçará a obstinação do presidente do Tottenham, Daniel Levy, conhecido pro fazer jogo duro nas negociações, de não aceitar nenhuma proposta do Manchester City. Acredita que seria melhor jogar a bola para o colo do clube que quer contratá-lo.

“Eu ainda não entendo essa conversa de que Kane está com as costas na parede. Ele está? Por quê? O clube nunca forçou Kane a assinar um contrato de seis anos em 2018. É culpa dele e de seus assessores ter assinado um contrato tão longo sem uma cláusula de rescisão, o que é absolutamente ridículo”.

“O que me incomodaria, se eu fosse Kane, é se o Manchester City estivesse dizendo para ele: ‘talvez você precise causar um pouco de confusão porque queremos contratá-lo mais barato’. Mas, ao causar essa confusão, ele pode destruir sua reputação com o clube em que esteve desde que era criança e pode sofrer para voltar no futuro. Kane deveria estar jogando a responsabilidade ao City e dizendo: ‘se você me quer, sabe que custará caro’.

“As ações de Kane podem apenas solidificar a posição de Levy. Eu acho que ele verá isso como uma luta agora. Eu não acho que você quer irritar os donos dessa maneira. Kane deveria ter procedido de outra forma. Eu acho que realisticamente, os torcedores do Tottenham entendem por que ele quer ir embora, mas, ao não aparecer para treinar quando tem um contrato de seis anos, você corre arriscar voltar a situação completamente contra você”.

“Não destrua sua reputação, Harry. Ela importa”, encerrou.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo