anotou apenas o seu quarto gol nesta temporada e selou uma vitória emocionante do sobre o , na prorrogação, pela quinta rodada da . O festival de bolas na rede desta quarta-feira em Goodison Park terminou 5 a 4 para os donos da casa e valeu a vaga nas quartas de final da Copa da Inglaterra.

Foi uma partida de alta intensidade desde o começo entre duas equipes em pé de igualdade na tabela da Premier League, separados por apenas um ponto. Marcou a primeira passagem do Everton às quartas de final do torneio mais velho do mundo desde 2015/16.

O Tottenham teve uma primeira meia hora arrasadora. Logo no primeiro minuto, Lamela exigiu linda defesa de Olsen, completando cruzamento de Bergwijn com a cabeça. Na sequência, Son cobrou escanteio e Davison Sánchez desviou de cabeça para abrir o placar. O jogo mal havia começado.

O Everton demorou aproximadamente 15 minutos para se encontrar em campo. Começou a ameaçar com um chute rasteiro de Ben Godfrey, muito bem espalmado por Lloris. Dois minutos depois, Calvert-Lewin, com desvio do goleiro francês, acertou a trave. O Tottenham respondeu com uma bonita troca de passes que terminou com o cruzamento rasteiro de Matt Doherty para Son fazer Olsen trabalhar novamente.

O segundo gol dos Spurs parecia mais próximo, mas, em poucas mais de cinco minutos, tudo desmoronou. Hojbjerg começou a derrocada do Tottenham errando na saída de bola. Sigurdsson dominou no bico da área e soltou com Calvert-lewin que encheu o pé para empatar. Logo na sequência, o centroavante do Everton recebeu pela esquerda e soltou com Richarlison. Dominou, abriu à perna direita e também bateu com muita força, da entrada da área, para virar a partida.

Já era desastre suficiente para um Tottenham que parecia melhor no jogo antes de levar o empate. Piorou quando Calvert-Lewin sofreu pênalti de Hojbjerg – longe do seu melhor dia. Sigurdsson cobrou com calma e fez 3 a 1. Para a sorte dos Spurs, Yerri Mina contribuiu para que a partida continuasse elétrica. No último lance da etapa inicial, Lamela tabelou com Son e contou com uma furada do zagueiro colombiano para receber de volta na área e descontar.

Aos 12 minutos do segundo tempo, outra jogada de escanteio. E outro gol de Sánchez. Desta vez, Alderweireld desviou a batida de Son na primeira trave, Olsen fez mais uma linda defesa e a bola sobrou para Sánchez empurrar às redes. Sem espaço para respirar, o Everton voltou a ficar à frente. Sigurdsson descolou bom passe para Richarlison entrar pela esquerda e bater cruzado. Não perca a conta: 4 a 3.

Keane quase ampliou, com uma cabeçada firme, completamente livre, na pequena área, em cima de Lloris, e o Everton foi punido. Em outra jogada de escanteio. Lamela apareceu na segunda trave, mas acertou Doucouré, em cima da linha. A sobra voltou a Son, que fez jogada de linha de fundo e cruzou na medida para que o seu colega Harry Kane, que ainda entrando em forma saiu do banco de reservas, marcasse de peixinho.

Prorrogação. Aos sete minutos, Bernard deixou com Sigurdsson e entrou na área. O finlandês retribuiu com um passe por cima, o brasileiro dominou e bateu cruzado para fazer 5 a 4. Naturalmente, o Tottenham pressionou bastante no 20 minutos finais, com muitos cruzamentos, bolas alçadas à área e pedindo pênalti a cada batida bloqueada, mas já havia gols suficientes para uma noite de Copa da Inglaterra.

.

.

.