Inglaterra
Tendência

Auxiliar de Guardiola na Tríplice Coroa, Maresca tentará reconstruir o Leicester na Championship

Enzo Maresca teve passagens marcantes como jogador e recebe uma grande missão como novo técnico do Leicester, após fazer parte da comissão técnica do Manchester City no último ano

O Leicester City permanece com boa reputação dentro da Inglaterra, mesmo com o rebaixamento na Premier League. Neste novo momento, as Raposas precisavam escolher o treinador responsável por buscar a recuperação do clube na Championship. O trabalho de Brendan Rodgers esfarelou-se após feitos marcantes, enquanto a contratação de Dean Smith para tentar uma reviravolta na reta final da temporada não se pagou. Neste período em que realiza um planejamento para a segundona e sabe que precisará se virar com um elenco mais enxuto, a diretoria busca uma alternativa a princípio interessante ao comando. Enzo Maresca fará seu segundo trabalho como técnico principal, mas possui uma bagagem respeitável dos tempos de jogador. Além disso, é mais um dos pupilos de Pep Guardiola que criam asas, presente como assistente na recente Tríplice Coroa dos celestes.

Aos 43 anos, Maresca assina com o Leicester num movimento de médio prazo do clube. O contrato oferecido para o novo treinador é de três anos, válido até 2026. Até pela força estabelecida nos tempos de Premier League, as Raposas são naturalmente candidatas ao acesso imediato na Championship. Entretanto, talvez a missão não seja cumprida de maneira automática. Com problemas financeiros, o clube tende a aproveitar a oportunidade para enxugar a folha de pagamentos. Alguns jogadores-chave estão de saída ao final de seus contratos. Maresca também precisará conduzir um período de renovação, não somente de recuperação.

“Enzo traz uma combinação de personalidade, método e ambição, que atende extremamente bem a direção de futebol que queremos tomar. Sua filosofia tem sido construída sobre uma carreira rica e variada, incluindo uma excelente educação como técnico. Isso se casa com a visão que temos para o próximo capítulo da história do Leicester. O perfil de Enzo chama nossa atenção há algum tempo – uma sensação que apenas se potencializou diante dos nossos encontros e de ouvir seu entusiasmo com o desafio à frente. Não tenho dúvidas de que ele será calorosamente recebido pelos nossos torcedores e que, juntos, poderemos redefinir o caminho do clube em direção ao sucesso futuro”, comentou Aiyawatt Srivaddhanaprabha, atual presidente do Leicester.

Maresca, por sua vez, indicou a ambição de construir de cara uma nova filosofia, não apenas de buscar o acesso: “Estou muito empolgado, por causa do clube e por causa da grande temporada que temos pela frente. De início, nosso objetivo é atuar da melhor maneira possível. A partir disso, podemos construir dia após dia nossa ideia e nossa filosofia, e isso é o mais importante para tentar ganhar jogos. Antes de mais nada, daremos nosso máximo, porque o clube merece isso. É nosso dever fazer isso. Então, passo a passo, com certeza melhoraremos”.

Maresca foi um bom meio-campista em seus tempos de jogador. O italiano começou na base do Milan, mas chegou a defender o West Bromwich quando se profissionalizava. Depois, rodou por vários clubes italianos. Teve passagens relevantes por Fiorentina e Bologna na Serie A, bem como era um reserva útil na Juventus. Já o ápice de sua trajetória aconteceu na Espanha, como uma figura central no Sevilla bicampeão da Copa da Uefa. O meio-campista foi inclusive herói da final contra o Middlesbrough em 2006, com dois gols. Posteriormente, também faria parte do ambicioso projeto do Málaga que colocou os andaluzes pela primeira vez na Champions League. Passou ainda por diferentes níveis das seleções italianas de base, mas sem atingir o elenco principal.

A aposentadoria de Maresca aconteceu em 2016/17, com a camisa do Verona. O veterano logo iniciou sua empreitada como treinador. Trabalhou como assistente de Vincenzo Montella e Joaquín Caparrós no Sevilla, antes de se unir à comissão técnica de Manuel Pellegrini no West Ham. Sua primeira passagem pelo Manchester City aconteceu em 2020/21, como comandante da equipe sub-23. Ganhou reconhecimento ao conquistar a Premier League 2. Logo depois, aceitaria a missão de dirigir o Parma na Serie B, mas não registrou bons resultados em 2021/22 e durou só 14 jogos, demitido em novembro de 2021. Já na atual temporada, acabou convidado para trabalhar como auxiliar de Pep Guardiola. Foram 61 jogos como assistente do City. Viveu de perto o ápice do clube, entre as conquistas da Premier League, da Copa da Inglaterra e da Champions League.

Obviamente, o trabalho secundário no Manchester City não torna Maresca garantia de sucesso. A própria frustração no Parma serve de ressalva. Contudo, não se nega que o italiano teve uma experiência valiosa na comissão técnica de Pep Guardiola. Há outros exemplos positivos, neste sentido. Mikel Arteta se impulsionou depois de trabalhar com Guardiola por três anos no Estádio Etihad, enquanto Vincent Kompany prova sua competência após ter sido capitão do espanhol nos Citizens. Tito Vilanova, mesmo numa passagem curta por conta de seu câncer, deixou boas marcas pelo Barcelona em La Liga – algo que Xavi também começa a realizar. Entretanto, também há casos daqueles que não desabrocharam. Domènec Torrent não engrenou em suas grandes oportunidades, sobretudo no Flamengo e no Galatasaray. Já o experiente Juanma Lillo vinha de trabalhos fracos quando se uniu a Manchester, até assumir o Al-Sadd no último ano.

O primeiro grande desafio de Enzo Maresca, ainda na intertemporada, será o de remontar o elenco do Leicester para a Championship. A lista de jogadores que deixam o clube inclui Youri Tielemans, Daniel Amartey, Çaglar Söyüncü, Ayoze Pérez, Nampalys Mendy, Ryan Bertrand e Tetê. Todos eles chegaram ao término de seus contratos e não renovaram, com destino certo apenas para Tielemans rumo ao Aston Villa e para Tetê na volta de empréstimo ao Shakhtar Donetsk. Outros ainda devem ser vendidos para aproveitar o mercado, em especial James Maddison. Mas, apesar da abertura massiva na folha salarial, a tendência não é a de gastar tanto, diante das restrições geradas pelas perdas do clube desde a pandemia.

Conquistar o acesso na Championship nunca é missão simples, dado o nível de investimento. Alguns clubes de quedas recentes na Premier League sofreram para subir de imediato. Entretanto, o Leicester se indica um passo acima dos outros, pelo sucesso que alcançou ao longo da última década. Além disso, Maresca mostra ambição o suficiente e reconhece que um estilo de jogo ofensivo pode ser um impulso a mais. Times como o Burnley, o Fulham e o Brentford subiram com mentalidades mais agressivas. Indicaram-se até mais prontos para se restabelecerem na elite.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo