Inglaterra

A despedida de Troy Deeney: “Watford é um lugar pequeno no Planeta Terra, mas foi o epicentro do meu universo”.

Após 11 anos como artilheiro e capitão do Watford, Deeney defenderá o Birmingham nas próximas duas temporadas.

Toda história tem um fim, e o da relação entre Troy Deeney no Watford estava se aproximando. O atacante de 33 anos participou pouco da campanha do acesso na última temporada e vinha entrando apenas nos últimos minutos das primeiras rodadas da Premier League. Nesta segunda-feira, o divórcio foi concretizado, com palavras muito bonitas do jogador que sempre honrou a camisa dos Hornets e se destacou pela garra e pela sinceridade das suas declarações.

Deeney assinou contrato por dois anos com o Birmingham. Ele tinha mais uma temporada em seu contrato, mas fez um acordo com a diretoria para sair sem custos. Retornará para a cidade onde nasceu, após 11 temporadas defendendo o Watford. Cresceu em uma família carente e viu seus pais se separarem quando tinha 11 anos. Foi expulso da escola e ainda tentou estudar um pouco mais antes de virar aprendiz de pedreiro aos 16. Foi contratado pelo Watford em 2010 e ganhou a sua primeira oportunidade na Championship aos 22.

Chegou a ser sentenciado a dez meses de prisão em 2012, por chutar a cabeça de um homem durante uma briga, e cumpriu três atrás das grades antes de sua pena ser abrandada. Retornou ao Watford e, no ano seguinte, fez o gol da fenomenal vitória sobre o Leicester nas semifinais dos playoffs. No total, despede-se com 140 gols em 419 partidas pelo Watford, com direito a uma final de Copa da Inglaterra em 2019.

“É estranho me pedirem para expressar meus sentimentos pelo Watford. Eu sinto tristeza e perda, similar a perder um membro da minha família. Estou animado pela minha nova jornada e o que virá no futuro. Sinto muito orgulho do que conquistei nos últimos 12 anos. As amizades e conexões que tivemos. O Watford mudou a minha vida”, disse, em uma mensagem gravada e publicada no Twitter do clube.

“No meu livro (“Troy Deeney – Redenção: Minha História”), eu falei sobre as coisas que aconteceram na minha vida e as coisas que mudaram neste lugar. Não apenas comigo, mas com o clube também. Espero que quando você o leia entenda por que eu sou quem eu sou”.

“O Watford é um lugar pequeno no Planeta Terra, mas, durante alguns dos anos mais turbulentos da minha vida, foi o epicentro do meu universo. Eu não poderia querer torcedores melhores. Eu fico muito honrado de ter sido o capitão deste clube”.

“De Graham Taylor, Sir Elton John a lendas como John Barnes e muitos outros. Ser capitão de um clube que teve todas essas grandes pessoas me dá arrepios e muito orgulho. Os torcedores foram incríveis e posso dizer do fundo do coração que eu amo todos vocês. Eu nunca poderei retribuir. Este clube está no meu coração para sempre. Deixei tudo em campo, sempre que joguei. Tentei apresentar a melhor versão de mim todas as vezes. Obrigado”, encerrou.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo