Holanda

O Ajax deu as boas-vindas a Huntelaar relembrando seus grandes gols pelo clube

Klaas-Jan Huntelaar não aproveitou as duas grandes oportunidades que teve na carreira. Pouco rendeu com as camisas de Real Madrid e Milan (o velho Milan) antes de sustentar sua idolatria no Schalke 04. Entretanto, se o centroavante fez seu nome para atrair o interesse de ambos os gigantes, foi por sua passagem estupenda pelo Ajax. Entre 2005 e 2008, o camisa 9 defendeu os Godenzonen, trazido do Heerenveen. Viveu anos maravilhosos, somando 102 gols em 134 partidas. Faltaram títulos mais expressivos, faturando apenas duas Copas da Holanda. Em compensação, acumulou pinturas e por duas vezes terminou como artilheiro da Eredivisie. Os Ajacieden sabiam que qualquer bola poderia acabar nas redes com seu protagonista. E, por isso mesmo, o retorno do velho xodó à casa é tão significativo.

VEJA TAMBÉM: Huntelaar chegou ao Schalke como fracasso, mas sairá consagrado como artilheiro

O Ajax anunciou a contratação de Huntelaar nesta quinta. Depois de oito anos longe de Amsterdã, o veterano assinou por uma temporada. Já tinha deixado clara sua vontade de voltar durante a última edição da Liga Europa. A visita à Johan Cruyff Arena foi bastante emocional, com os torcedores homenageando o centroavante, que deixou o gramado com os olhos marejados. Encerrado o marcante ciclo no Schalke, o destino rumo à Holanda já era esperado – em maio do ano passado, havia declarado que aceitará até ganhar menos nos alvirrubros. Acerto festejado pelo clube e pelo jogador.

“Não é segredo para ninguém que o Ajax é meu clube de coração. Estou muito feliz por retornar. Meu papel é claro, vim aqui para construir. Quero participar dos jogos e ganhar tempo em campo. Eu me sinto bem e estou empolgado para a pré-temporada. Ganhei títulos com o clube, mas não a liga. Meu objetivo é ajudar o time a conquistá-la”, declarou Huntelaar, em sua apresentação.

A adição do veterano é importante ao Ajax. Não apenas por ganhar um goleador, que tende a continuar rendendo em uma liga de competitividade mais baixa como a holandesa. Sua experiência em um grupo bastante jovem também auxiliará os Godenzonen a continuarem evoluindo. Emular o que Dirk Kuyt conseguiu no Feyenoord, entretanto, será um grande desafio.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo